Topo

Filmes e séries

"Um Lugar Silencioso", o melhor filme de terror do ano (até agora)

Reprodução
Emily Blunt e a novata Millicent Simmonds em cena de "Um Lugar Silencioso" Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

04/04/2018 04h00

"Um Lugar Silencioso", que estreia nesta quinta-feira (5) nos cinemas brasileiros, trilha um caminho semelhante a "Corra!" (2017), a produção indie de terror que levou o Oscar 2018 de melhor roteiro original e alavancou novamente o horror psicológico.

Assim como a criação de Jordan Peele, o novo filme é uma produção de baixo orçamento em Hollywood que foge dos clichês do gênero (se em “Corra!” o debate era sobre racismo, aqui é a angústia de viver silenciado) e que se apoia na avaliação positiva da crítica, criando um burburinho no público. O que é certo: "Um Lugar Silencioso" já o melhor filme de terror do ano --até agora.

Leia também

No filme dirigido e protagonizado por John Krasinski (o Jim, da série "The Office"), o mundo inteiro enfrenta uma situação complicada: a população está ameaçada se fizer qualquer barulho --qualquer mesmo. A quietude deve ser mantida com rigor, e todos já estão preparados para os novos tempos: há areia no chão para diminuir os ruídos dos passos e a linguagem de sinais foi introduzida para melhor se comunicarem. 

Reprodução
John Krasinski dirige a mulher Emily Blunt em "Um Lugar Silencioso" Imagem: Reprodução

A história se concentra em torno de uma família de quatro integrantes. Junto ao chefão da casa, vivido pelo próprio John Krasinski, moram a mulher grávida (Emily Blunt) e dois filhos pequenos (Millicent Simmonds e Noah Jupe). Eles vivem em uma velha residência localizada em uma grande fazenda no interior dos Estados Unidos. A paisagem simpática guarda um perigo iminente: criaturas velozes, cegas e fortes que atacam ao sinal de qualquer destaque sonoro.

Em um momento apreensivo, pai e filho vão à tarde pescar para ter o que comer no jantar. A caçada é bem-sucedida, e o som alto da cachoeira possibilita um mínimo diálogo. O garoto está aterrorizado com a simples ideia de abrir a boca e o pai explica que não existe risco algum. Na volta para casa, eles passam por outra família que mora a alguns quilômetros de distância e o cenário é mortal. Um grito seco aumenta o medo e eles precisam sobreviver de alguma forma. A angústia paira no ar durante seus 90 minutos. 

A direção de Krasinski, em seu terceiro trabalho no posto, foca no silêncio desconfortável que segue a família encavalado por ruídos altos para quebrar a expectativa. Caso você já tenha pulado ao ver a lamparina se despedaçando no trailer oficial, aguarde: muitos momentos desse virão. Junto com a trilha sonora precisa está a força feminina da família, uma dupla porreta formada pela menina e pela mãe.

Reprodução
A família reunida na volta para casa Imagem: Reprodução

Diferente de tramas tão batidas sobre demônios, crucifixos, lado do bem e do mal ou uma entidade sempre à espreita, "Um Lugar Silencioso" tem uma história simples, sem muitos efeitos digitais virtuosos e a construção psicológica do enredo tomando forma aos poucos. É seguindo a linha do terror psicológico que a nova aposta do terror quer chegar ao status de "Corra!".

"Não era um gênero em que eu pensava: 'Eu tenho que embarcar nesse trem'. Eu nem vi muitos filmes de terror", contou o diretor em uma entrevista ao site "Vulture", lembrando que tudo mudou quando o sucesso de "Corra!" começou na indústria. "Uma vez na sala de edição, o clima entre o estúdio e os produtores mudou, começamos a perceber que, se conseguíssemos fazer o filme que estávamos planejando, poderia ser um grande sucesso".

Os 100% de aprovação no site “Rotten Tomatoes”, o maior agregador de crítica mundial, colocam o filme em uma situação ainda mais semelhante à grande surpresa do ano passado, que também compartilhou deste fardo. Resultado: “Corra!” arrecadou US$ 33 milhões no final de semana de estreia, quase oito vezes o seu orçamento. “Um Lugar Silencioso”, aponta o “Box Office”, pode bater US$ 25 milhões, já contando o lucro de alguns milhões de dólares.

Filmes do ano

Os fãs do gênero de terror não podem reclamar de 2018. Além de "Um Lugar Silencioso", o cinema já exibiu neste ano "A Maldição da Casa Winchester" e "Sobrenatural: A Última Chave". Já na Netflix, "The Cloverfield Paradox" e "Aniquilação" também fizeram a cabeça da galera. Mas vem muita coisa nova por aí.

Estão previstos chegar às telonas ainda este ano "Os Estranhos - Caçada Noturna", "Slender  Men: Pesadelo sem Rosto", Verdade ou Consequência", "Medo Viral", "Exorcismos e Demônios", "The First Purge" e "O Predador", reboot com um elenco de primeira e comandado pelo mesmo diretor de "O Homem de Ferro 3".

Talvez o que arraste mais gente ao cinema seja "A Freira", uma trama paralela da franquia "Invocação do Mal", mostrando um padre com um passado assombrado e uma ajudante que são enviados ao Vaticano para investigar o suicídio de uma freira. O filme chega aos cinemas brasileiros no dia 13 de setembro.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!