PUBLICIDADE
Topo

Gorillaz faz festa apocalíptica e manda Trump se f*der em estreia no Brasil

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

30/03/2018 23h19

Demorou 17 anos para os brasileiros ouvirem "Clint Eastwood", maior hit do Gorillaz, ao vivo. A música, que tantos anos depois continua marcada no imaginário radiofônico -- entrando no rol de hits que continuam a tocar no automático nas rádios de rock e pop que restam — lavou a alma dos fãs da banda que ficou famosa por ser virtual, mas que mostrou energia real em cima do palco.

A estreia por aqui aconteceu em plena sexta-feira santa (30), no Jockey Club, em São Paulo, quando o projeto se torna objeto de culto, graças aos sucessos conquistados em quase duas décadas. Mas não foi apenas as canções mais assobiáveis que agitaram a apresentação.

“Foda-se Trump”

A bordo do último disco, “Humanz”, o Gorillaz fez um show em tom de festa, embora as canções estejam carregadas de mensagens sobre um mundo caótico, cada vez mais parecido com as fantasias distópicas que Damon Albarn e James Hewlett criaram nesses últimos 17 anos.

Gorillaz toca pela primeira vez em São Paulo - Iwi Onodera/UOL - Iwi Onodera/UOL
Ao lado de Damon Albarn, Maseo, do trio de hip hop De La Soul, mostra o dedo do meio em momento do show com críticas a Donald Trump
Imagem: Iwi Onodera/UOL

O ponto de partida do disco foi uma pergunta feita em 2015: o que aconteceria se Donald Trump chegasse à presidência dos Estados Unidos? Quando o disco chegou às ruas, a mera cogitação já era realidade. Restou fazer com que as canções fizessem dançar para ajudar a encarar um apocalipse real.

Com os lendários americanos do De La Soul no palco, o recado veio alto e claro: “Foda-se Donald Trump”. O público, claro, acompanhou com gritos de “Fora Temer”.

O chamamento para a resistência surge na abertura do show, com “M1-A1”, em que Albarn pergunta se tem alguém por aí, instigando o público para a chegada de 2-D, Murdoc Niccals, Noodle e Russel Hobbs.

Os personagens em desenho animado dão as caras aos poucos no telão, assim como a extensa lista de convidados que dão vida ao disco, como os rappers Popcaan (no trap pesado de “Saturnz Bars”) e Vince Staples (em “Ascension”).

A exceção foi o balanço dos americanos do De La Soul, que integram a turnê e injetaram energia em “Superfast Jellyfish” e “Feel Good Inc.”, e de outros nomes do rap, como Bootie Brown em “Dirty Harry”, Peven Everett em “Strobelite” e “Stylo” e a novata inglesa Little Simz, que fez a plateia pular em “Garage Palace”.

Teve até espaço para “Hollywood”, cantada por Jamie Principle, canção que fez sua estreia ao vivo justamente na turnê pela América Latina. Pela primeira vez por essas bandas, Albarn se rendeu: “Não queremos mais ir embora”.

Peven Everett e Bootie Brown fazem participação especial no show do Gorillaz durante a turnê "Humanz", em São Paulo - Iwi Onodera/UOL - Iwi Onodera/UOL
Peven Everett e Bootie Brown fazem participação especial no show do Gorillaz durante a turnê "Humanz", em São Paulo
Imagem: Iwi Onodera/UOL

Magia ao vivo

Os vídeos com os personagens dão suporte, mas não é o que faz o show do Gorillaz tão especial. A magia acontece em carne e osso no palco. Anfitrião dessa festa estranha, Damon Albarn (também vocalista do Blur) coordenou o show de forma endiabrada, mostrando a língua e descendo até a plateia em “19-2000”, que na esteira de “Clint Eastwood”, dominou as rádios em todo o mundo em 2001.

No palco com dois bateristas, um coro de seis cantores e dois tecladistas, a mistura que se convencionou a ser chamado de trip rock (a junção de elementos de hip-hop, dub, rock e pop) ganha ainda mais vida, embora o som do Jockey Club pudesse ter ajudado desde o início.

A festa conseguiu afastar a garoa forte que tomou metade da apresentação, mas não foi o bastante para evitar que o público não caísse em poças de água e por pouco não atolasse na lama do Jockey.

Setlist:

M1 A1
Last Living Souls
Rhinestone Eyes
Tomorrow Comes Today
Every Planet We Reach Is Dead
Saturnz Barz
19-2000
Superfast Jellyfish (com De La Soul)
On Melancholy Hill
El Mañana
Charger (com Pauline Black)
Ascension
Strobelite (com Peven Everett)
Andromeda
Hollywood (com Jamie Principle)
Garage Palace (com Little Simz)
Punk
Stylo (com Peven Everett e Bootie Brown)
Dirty Harry(com Bootie Brown)
Feel Good Inc. (Com De La Soul)

Bis:

Hong Kong
Kids With Guns
Clint Eastwood
Don't Get Lost in Heaven
Demon Days