PUBLICIDADE
Topo

Liam Gallagher bonzinho dá aula ao irmão de como reviver Oasis no Lollapalooza

Com repertório baseado em Oasis, Liam Gallagher se apresenta no Lollapalooza Brasil 2018 - Ricardo Matsukawa/UOL
Com repertório baseado em Oasis, Liam Gallagher se apresenta no Lollapalooza Brasil 2018 Imagem: Ricardo Matsukawa/UOL

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

25/03/2018 19h20

A multidão que se aglomerou em frente ao palco principal para ver Liam Gallagher, neste domingo (24) de Lollapalooza Brasil 2018, queria mesmo era ouvir os hits do Oasis. Dito e feito.

Se na última passagem no Brasil com a banda Beady Eye, em 2011, não houve sequer um sucesso da banda, Liam desta vez fez um imenso agrado aos fãs.

Diferentemente do irmão Noel, o músico mantém praticamente intactos os arranjos de hits como "Wonderwall", dando clima nostálgico para o ponto alto do show ou o momento para sacar o celular e gravar um vídeo, como a maioria fez.

Outra questão primordial: é inegável que Liam foi a voz marcante do Oasis. Então, é inevitável que o público se contagie mais com o tom dele em "Cigarettes & Alcohol", "Rock'n'Roll Star" e "(What's the Story) Morning Glory?".

Jeitão de carrancudo, mas é só pose mesmo

Quem estava com receio de que a voz do cantor não tivesse aquela coisa, já que ele abandonou o palco do Lollapalooza Chile após quatro músicas e ainda cancelou uma apresentação em São Paulo, saiba que tudo rolou bem, com algumas desafinações aqui e acolá que passaram praticamente despercebidas.

Além das polêmicas entrevistas, a pose de Liam é a mesma desde os anos 1990: parado em frente ao microfone, com os braços atrás do corpo, uma jaquetona preta (calor é para os fracos) e óculos escuros.

Carrancudo, andando pelo palco com caras de poucos amigos, ele gosta de fazer o papel do rock star que não está bem aí nada. Mas não é bem assim.

O vocalista esboçou um sorriso logo quando entrou, apontou para o público e mandou beijinho nas bochechas.

Mas às vezes o ego o faz escorregar: "Muito obrigado por esta noite. Uma salva de palmas para vocês pelo bom gosto".

Não só do passado

Primeiro trabalho solo de Liam, o elogiado "As You Were" foi lançado no final do ano passado e mostra que o vocalista não perdeu o tesão pelo rock.

A marca crua do tradicional e infalível rock inglês no single "Greedy Soul", com guitarra rasgada e bateria em compassos rápidos, foi bem recebido pelo público, que cantou em coro.

Já na balada "For What It's Worth", casais apaixonados se aproximaram durante os versos sobre alguém que tenta recuperar o amor perdido.

Mas o foco sempre será outro, e Liam tem consciência disso: "Tem algum fã do Oasis aí?", perguntou, recebendo uma barulhenta saudação antes de "Some Might Say".

De sua antiga banda, ainda pintaram no repertório "Be Here Now", "Supersonic" e "Live Forever".