PUBLICIDADE
Topo

Hardwell fecha eletrônico no Lolla com versão proibida de "Baile de Favela"

O DJ holandês Hardwell toca no Lollapalooza Brasil 2018 - Ricardo Matsukawa/UOL
O DJ holandês Hardwell toca no Lollapalooza Brasil 2018 Imagem: Ricardo Matsukawa/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

25/03/2018 22h26

Hardwell carregou neste domingo (25) a responsabilidade de fechar a programação do palco eletrônico na maior edição do Lollapalooza Brasil de todos os tempos. Apesar de ter sido eleito diversas vezes o melhor do mundo, o holandês não contava com a forte concorrência de Lana Del Rey e The Killers tocando ao mesmo tempo. Para atrair esse público, apostou em uma espécie de baile funk eletrônico que teve até a versão proibidona de "Baile de Favela", hit do paulistano MC João.

"Olá, Brasil. Brasil, estão prontos?", disse o DJ, em português, ao subir no palco às 21h02 com perdoáveis sete minutos de atraso. Do outro lado do autódromo, a 20 minutos de caminhada, Lana Del Rey tinha acabado de terminar seu show e o rapper Wiz Khalifa começava sua apresentação. Ao lado, no palco Budweiser, outro concorrente de peso, o grupo The Killers.

Com menos público, pirofagia e efeitos especiais com papéis picados do que os headliners dos dois anteriores --Alok e DJ Snake--, ele tentou compensar no carisma. Estudou português e falou algumas frases no idioma, mas, principalmente, incluiu em seu set vários funks típicamente brasileiros.

Primeiro, Hardwell arriscou "Estilo Colombiano", do MC do Chapa. O público dançou, mas não se empolgou a ponto de cantar junto. Depois de algumas músicas foi a vez de "Bum Bum Tam Tam", do MC Fioti. Aí sim os brasileiros esquentaram e resolveram aderir ao baile funk eletrônico.

Tipicamente brasileiro, "Bum Bum Tam Tam" é um sucesso internacional e já ganhou versão com Future, J Balvin e Diplo. Hardwell, inclusive, já tinha tocado a música no festival Ultra, no Rio. Ao notar que a plateia do Lolla se empolgou, o DJ pediu em bom português: "Brasil, faz barulho!"

Na pista, além de poucos fãs que ficaram no espaço praticamente o dia todo esperando pelo DJ holandês, alguns casais aproveitavam para não terminar o Lolla no zero a zero. O remix de MC Fioti foi a desculpa perfeita para se soltar.

Intercalando com sucessos próprios como "Power" e "We Are Legend", o holandês voltou a apostar no funk e botou pra tocar a versão proibidona do funk "Baile de Favela", que chegou a ganhar versão mais suave do próprio MC João para tocar nas rádios e em programas de TV. No Lollapalooza, o que reinou foi mesmo a versão proibidona, que tem refrão impublicável.

Aos poucos o holandês foi conquistando mais público. O palco fica posicionado na entrada principal do Lollapalooza e vira passagem também para uma das saídas ao final do festival. Outra plateia bastante empolgada com o show do DJ eram os vips do Lolla Lounge, que tem vista privilegiada para a pista e o palco.