PUBLICIDADE
Topo

Após deixar palco chorando, Liniker volta ao Lolla com Francisco, el Hombre

As cantoras Liniker e Maria Gadú se apresentam com a banda Francisco, el Hombre no último dia de Lollapalooza 2018 - Felipe Gabriel/UOL
As cantoras Liniker e Maria Gadú se apresentam com a banda Francisco, el Hombre no último dia de Lollapalooza 2018 Imagem: Felipe Gabriel/UOL

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

25/03/2018 13h20

Um dia depois de ter deixado o Lollapalooza Brasil chorando, após uma falha nos equipamentos em seu show, a cantora Liniker voltou ao mesmo palco, neste domingo (25), para cantar como convidada da banda Francisco, el  Hombre. Maria Gadú também se juntou a ela na música "Triste, Louca ou Má".

A faixa, que tem os versos "Um homem não te define / Sua casa não te define / Sua carne não te define", é a música-tema da personagem Clara, da novela "O Outro Lado do Paraíso". E, desta vez, Liniker deixou o palco com um imenso sorriso no rosto.

Gritos de "Fora Temer" e "Fora Dória"

Antes de Liniker e Maria Gadú subirem ao ao palco, Francisco, el Hombre cantou a música "Bolso Nada", repleta de críticas sociais e que tem nos versos "Bolso deles sempre cheio / Bolso nada que pariu". No álbum "Soltasbruxa", a gravação original também conta com a participação de Liniker, embora no Lolla a banda tenha executado a faixa sem a participação da cantora.

A faixa foi seguida de gritos de "Fora, Temer" e também "Fora, Dória", que vai renunciar em breve a prefeitura de São Paulo para se lançar como candidato ao governo do estado.

"Tem uma galera que a gente tem que botar para fora também", disse a vocalista Juliana Strassacapa. "Mas hoje eu canto para a Marielle Franco (vereadora assassinada no Rio no último dia 14). Sua voz nunca será silenciada", completou ela, antes de convidar Liniker e Gadú. Uma imagem da vereadora foi exibida no telão.

Os artistas homenagearam Marielle Franco, assassinada a tiros no Rio  - Felipe Gabriel/UOL - Felipe Gabriel/UOL
Os artistas homenagearam Marielle Franco, assassinada a tiros no Rio
Imagem: Felipe Gabriel/UOL

A banda Francisco, el Hombre foi formada em 2013 pelos irmãos mexicanos naturalizados brasileiros Sebastián e Mateo Piracés-ugarte, além de outros músicos brasileiros. Eles tocam uma mistura de ritmos latinos com a característica batucada brasileira.

O grupo foi o primeiro a se apresentar no terceiro dia do Lollapalooza. Muito performáticos, eles capricharam no figurino, com os rostos pintados e roupas cheias de brilho e purpurina. 

Antes de encerrar o show, a banda promoveu um abraço coletivo no Lolla e dedicou "Tá Com Dólar, Tá com Deus" ao produtor Carlos Miranda, que morreu nesta semana. "Quem nos conhece, sabe que a gente promove o amor, temos que encerrar com uma demonstração de amor. Levanta os braços e abraça quem está do lado. Se coube a gente abrir o Lolla, vamos fazer algo demais", disse Sebastián.

O show foi encerrado com uma imensa roda de ciranda e o cover de "O meu Sangue Ferve Por Você", de Sidney Magal.

"Marielle, Presente"

E não foi apenas Francisco, el Hombre que citou o brutal assassinato da vereadora Marielle Franco no Lolla deste domingo. A banda Braza, que abriu o Palco Budweiser lembrou da política:

"Fascismo não. Marielle presente sempre!", bradou o tecladista e vocalista Vitor Isensee, com uma imagem dela no telão.

Do outro lado do Autódromo de Interlagos, Mahmundi encerrou a apresentação no Palco Axe também citando Marielle. "A voz dela nunca vai se calar".