PUBLICIDADE
Topo

"Soube pelo WhatsApp que um amigo morreu", diz Paulo Ricardo sobre Miranda

Famosos vão ao segundo dia de shows no Lollapalooza - Cláudio Augusto/Brazil News
Famosos vão ao segundo dia de shows no Lollapalooza Imagem: Cláudio Augusto/Brazil News

Felipe Pinheiro

Do UOL, em São Paulo

24/03/2018 19h45

Paulo Ricardo comentou a morte do amigo, o produtor musical Carlos Eduardo Miranda, que não resistiu a um mal súbito e morreu aos 56 anos na última quinta-feira. Ao chegar ao Lollapalooza Brasil 2018, neste sábado, o músico contou como soube da notícia.

"Conversando depois de um show, em Teresina (PI), no grupo do WhatsApp, [o cantor e compositor] Kiko Zambianchi falou: 'Estão sabendo algo do Miranda? Ele passou mal'. Foi a primeira vez que soube da morte de um amigo em um grupo de WhatsApp. Ele era um cara de excessos, mas estava numa fase tranquila. Parece que é sempre assim. Vira o balde a vida inteira, parece que a conta chega", disse Paulo Ricardo ao UOL.

Leia mais

"Sou a única figura constante"

O vocalista do RPM estava animado em, pela primeira vez, pisar no Lollapalooza. "Há anos tento vir ao Lolla, mas tenho show. Quero ver tudo, ter experiência como um todo", disse ele ao falar sobre a expectativa pelo festival.

Paulo Ricardo, que canta a música de abertura do "BBB", da Globo, desde a primeira edição, em 2001, disse também se considerar um remanescente do reality show após a saída de Pedro Bial no ano passado. "Estou tão identificado com 'BBB'. Agora, com saída do Bial, sou a única figura constante", explicou.

Paulo elogiou ainda a forma como Tiago Leifert tem conduzido o programa. E procurou evitar fazer comparações com Bial.

"Eu curto [o Tiago Leifert no 'BBB']. Uma condição sui gêneris [termo de origem latina que significa, literalmente, "do seu próprio gênero"]. Não é um show normal. Tem que interagir com as pessoas e ele se sai muito bem. É um comunicador nato. Tem que interagir com cidadãos e o Brasil todo ao mesmo tempo. Não é fácil", elogiou.