Topo

Filmes e séries

Nova série do Porta dos Fundos trolla youtubers que não sabem gravar vídeos

Divulgação
Elenco de "Borges", série do "Porta dos Fundos" Imagem: Divulgação

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

13/03/2018 04h00

Erasmo (Antonio Tabet), Pablo (Rafael Portugal), Rosana (Thati Lopes) e Sonia (Karina Ramil) vão trabalhar um dia e descobrem que seu sócio em uma importadora deu um golpe monumental. Resultado disso tudo: uma dívida de R$ 800 mil e um baita pepino na mão. Sem opção, o quarteto decide fazer vídeos no YouTube para tentar levantar uma graninha e, apesar de dar tudo errado, as coisas até que funcionam.

"Borges", a nova série do "Porta dos Fundos" que estreia nesta terça-feira (13) no Comedy Central, às 21h30, dialoga com situações do dia a dia que apenas são possíveis em um momento tão azarado quanto o dos protagonistas. Com pequenas "esquetes" dentro de um episódio de 30 minutos, o projeto é mais uma prova de que a fórmula do canal, que acumula mais de 14 milhões de inscritos, está longe de acabar.

"A gente está sempre fazendo coisas diferentes", disse Ian SBF, roteirista da série, em entrevista ao UOL para divulgação do novo projeto na sede da Viacom, em São Paulo. "Vejo um monte de gente morrendo com o vlog, fazendo a mesma coisa durante cinco anos. E a gente está sempre contando uma história diferente."

Tabet completa a ideia: "[Sempre estamos] Falando de assuntos diferentes, por exemplo, o vídeo do Gilmar Mendes [uma brincadeira com a propaganda chiclete do posto Ipiranga] é um assunto específico, que está acontecendo agora, daqui a alguns meses vamos falar de outro tema".

Para o criador do canal e conhecido também pelo "Kibeloco", o mérito do "Porta dos Fundos" é apontar o dedo em uma direção que ninguém arrisca, seja na própria internet e muito menos na televisão.

"Volta e meio a gente faz um vídeo que acha que vai ser um problemão e não dá nada, e então você faz um vídeo que não vai ter problema e dá. E quando dá um problema você precisa gastar dinheiro com advogado, se preocupar, fica com dor de cabeça e muita gente não está disposta a viver com isso. A gente vive em um país que é refém do sistema judiciário e as coisas não são baratas de se resolver".

Em "Borges", a turma do "Porta dos Fundos" brinca com temas polêmicos, como religião -- um dos vídeos que o quarteto fez na ficção deixou um pastor louco de raiva --, e situações comuns, como um maldito "piriri" que leva a uma busca desenfreada por um banheiro disponível.

"Essa da caganeira, tem uma pessoa que trabalha com a gente que passou por isso. Na religião, o 'Porta' vive muito essa briga com a religião, então foi uma coisa que a gente trouxe para a série também.", afirmou Ian.

Gente fazendo vídeo que não sabe fazer vídeo

A intertextualidade de "Borges" é o mote central do projeto, principalmente se for analisar que quem está se arriscando na ficção e não entende nada de como produzir vídeos são alguns dos influenciadores digitais mais respeitados do Brasil.

"É uma série de bastidor, porque parece que o telespectador vai ter que entender [todo o processo de criação do mercado online] e é zero isso", brincou Ian. "A graça é essa. É uma galera que não sabe fazer vídeos tentando fazer alguma coisa do gênero. Então quem não tem a menor ideia de como se faz vídeo, vai continuar sem saber".

O fato é que boa parte dos jovens de hoje sonha em ser um influenciador digital, fazer dinheiro com estripulias na internet e ter milhões de seguidores nas redes sociais. Se o futebol e o sertanejo há algumas décadas ocuparam (e ainda ocupam, de certo) um papel fundamental nesse formato, Tabet apontou que muita gente por aí na internet está fazendo sucesso mesmo sem um material de qualidade.

"Jogador de futebol pelo menos precisa saber chutar uma bola. Tem influenciador por aí que nem é influenciador digital. Vou passar umas arrobas famosas depois, você começa a seguir e depois de um mês me diz o talento que elas têm", brincou o humorista.

Com piadas rápidas, situações engraçadas e duas histórias que se alinham como um episódio de "Seinfeld" (como apontou o roteirista), a série "Borges" ainda vai ter um spin-off para contar o que aconteceu com o responsável por dar nome ao projeto, em episódios de 3 minutos disponíveis no Comedy Central Play. 

"Quando eu tive a ideia, eu pedi para eles participarem porque eu sabia que seria muito maneiro. Queria que essa galera fizesse a série. Para mim foi incrível. Nem sempre é ótimo fazer alguma coisa, mas dessa vez foi. Já terminei pensando como seria a próxima temporada e já temos uma ideia do que vem por aí", concluiu Ian.

Serviço:

"Borges" - Nova série do "Porta dos Fundos"

Quando: terça-feira, dia 13 de março
Onde: Comedy Central
Horário: 21h30
Duração*: cada episódio tem 30 minutos
*a estreia terá episódio duplo de uma hora