PUBLICIDADE
Topo

1 ano após confusão, diretor de Moonlight conta discurso que faria no Oscar

Barry Jenkins, diretor de "Moonlight", segura a estatueta de melhor filme à frente de Jimmy Kimmel e ao lado da produtora Adele Romanski - Lucy Nicholson/Reuters
Barry Jenkins, diretor de "Moonlight", segura a estatueta de melhor filme à frente de Jimmy Kimmel e ao lado da produtora Adele Romanski Imagem: Lucy Nicholson/Reuters

Do UOL, em São Paulo

11/03/2018 15h47

O diretor Barry Jenkins aproveitou um evento de cinema neste final de semana nos Estados Unidos para revelar o discurso que teria feito ao ganhar o Oscar de melhor filme no ano passado por "Moonlight" se a premiação não tivesse sido ofuscada pelo anúncio errado do vencedor.

Na ocasião, os apresentadores Warren Beatty e Faye Dunaway anunciaram "La La Land" como o vencedor do principal prêmio da noite. Os organizadores da festa só corrigiram o erro quando os produtores de "La La Land" já estavam no palco, com o Oscar na mão.

Após receber o seu Oscar, Jenkins fez um discurso de improviso. Na noite deste sábado, o diretor revelou o que deveria ter falado na ocasião.

"Tarell (Alvin McCraney, o criador da história) e eu somos Chiron (o personagem principal). Nós somos aquele garoto. E quando você assiste a "Moonlight", você não pressupõe que um menino que cresceu como e onde ele cresceu faria um filme que venceria um Oscar - certamente você não pensaria que ele cresceria para ganhar o Oscar de melhor filme. O que tenho que admitir é que eu coloquei essas limitações em mim mesmo. Eu neguei para mim mesmo aquele sonho - não foi você, não foi mais ninguém, fui eu. Então, para que ninguém mais passe por isso, deixe que isso seja um símbolo, uma reflexão que leve você a se amar. Porque fazer isso pode ser a diferença entre sonhar e de alguma forma, com a ajuda da Academia, realizar o sonho que você nunca tinha se permitido".