PUBLICIDADE
Topo

Música

Google "mata" baterista do Pink Floyd, e músico tira sarro do boato

Nick Mason posa com a mesa de som utilizada durante as gravações do álbum "The Dark Side of the Moon" - Reprodução/Twitter/@nickmasondrums
Nick Mason posa com a mesa de som utilizada durante as gravações do álbum "The Dark Side of the Moon" Imagem: Reprodução/Twitter/@nickmasondrums

Do UOL, em São Paulo

08/03/2018 11h48

Aos 74 anos, Nick Mason não se apresenta mais com o Pink Floyd, já que a banda encerrou atividades. Mas ele segue bem vivo por aí. O susto - para ele próprio - deve ter sido ver que, de acordo com o Google, ele morreu no último dia 1 de março.

Nick Mason, baterista do Pink Floyd, dado como morto em busca no Google - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Foi o próprio baterista quem trouxe o assunto à tona nesta quinta-feira, em um post no Facebook. Ele postou um print da busca por seu nome no Google, que mostra uma data de falecimento para ele: 1 de março de 2018, em Nova York.

"Informações recentes de que eu morri tem sido muito exageradas... Eu acho?", escreveu ele, em sua página.

O erro foi reproduzido na busca em português e podia ser visto até o fechamento desta matéria. Já sua página na Wikipédia não mostra o mesmo equívoco.

Nick é o único músico que esteve presente em todos os álbuns do Pink Floyd e tinha um estilo que, principalmente ao vivo, incrementava a energia da banda - vide suas performances em "Live  at  Pompeii", quando a banda se apresentou nas ruínas de um anfiteatro, em 1972.

Nick Mason 2 - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Música