PUBLICIDADE
Topo

Engenheiros, "sala de guerra" e 190 países: como a Netflix lança uma série

Netflix montou uma "sala de guerra" na sua sede em Los Gatos (EUA) para a acompanhar o lançamento mundial de "Jessica Jones" - Divulgação/Netflix
Netflix montou uma "sala de guerra" na sua sede em Los Gatos (EUA) para a acompanhar o lançamento mundial de "Jessica Jones"
Imagem: Divulgação/Netflix

Beatriz Amendola

Do UOL, em Los Gatos (EUA)*

08/03/2018 09h50

Um lançamento de uma série de grande porte envolve estrelas de Hollywood, glamour e tapetes vermelhos, certo? Não é bem assim se você trabalha na Netflix e tem que lançar a série, simultaneamente, para mais de 190 países.

O UOL acompanhou o lançamento da segunda temporada de “Jessica Jones” direto da sede da empresa em Los Gatos, no Vale do Silício (Califórnia), na madrugada desta quinta-feira (8). E podemos atestar: para a série chegar ao espectador, há muito mais do que algumas entrevistas no tapete vermelho que aconteciam do outro lado dos Estados Unidos, em Nova York.

Para o lançamento da produção, cuja primeira temporada estreou no final de 2015, uma equipe de aproximadamente 20 pessoas foi reunida: engenheiros, analistas, designers e comunicadores se juntaram em uma grande mesa no hall de um dos edifícios da empresa para garantir que “Jessica Jones” chegasse tranquilamente aos usuários que tanto esperavam por seu retorno, em uma estrutura chamada de “war room” (sala de guerra, em tradução livre).

Convidados podiam tirar fotos no escritório de Jessica Jones na "sala de guerra" montada pela Netflix - Divulgação/Netflix - Divulgação/Netflix
Convidados podiam tirar fotos no escritório de Jessica Jones na "sala de guerra" montada pela Netflix
Imagem: Divulgação/Netflix

O evento, que começou às 23h30 (horário local), foi acompanhado por cerca de 100 jornalistas do mundo inteiro, levados para Los Gatos pela Netflix — o que envolvia pessoas de lugares tão distintos quanto México, Reino Unido, Egito e Japão.

Uma contagem regressiva marcou os poucos segundos que faltavam para a série entrar no ar, à meia-noite de horário local (5h no horário de Brasília). Tudo isso em uma sala decorada em tons de roxo, com muitas imagens da série, TVs que mostravam a tela inicial da Netflix em várias línguas, e reproduções de cenários tipicamente nova-iorquinos, como uma banca de jornal. Os convidados ainda podiam se divertir com uma estação de fotos que imitava o local de trabalho da heroína.

Mas não é como se fosse necessário apertar um botão para levar “Jessica Jones” aos assinantes do serviço: os episódios já estavam salvos nos servidores da Netflix ao redor do mundo e preparados para entrar no ar quando desse o horário determinado. A presença da equipe técnica foi mais para assegurar que tudo correria bem — e que eventuais problemas pudessem ser resolvidos rapidamente, já que muita gente começa a assistir assim que a série é disponibilizada. 

Não, você não leu errado: muitos assinantes estavam só esperando a nova temporada entrar para começar a maratona. Em um telão, um gráfico atualizado em tempo real mostrava a quantidade de pessoas que estavam apertando o "play" para ver a nova temporada. Sem números, porém, já que a Netflix notoriamente os mantêm em segredo. O que podemos contar é que eles se mantiveram relativamente estáveis até o fim do evento, por volta da meia-noite e meia. 

Telão acompanhava quantas pessoas davam "play" na nova temporada da série - Divulgação/Netflix - Divulgação/Netflix
Telão acompanhava quantas pessoas davam "play" na nova temporada da série
Imagem: Divulgação/Netflix

* A jornalista viaja a Los Gatos a convite da Netflix