PUBLICIDADE
Topo

"Ícaro" leva o Oscar de melhor documentário e diretor pede renúncia no COI

Cena do documentário "Ícaro" - Reprodução
Cena do documentário "Ícaro" Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

04/03/2018 22h46

"Ícaro" foi premiado neste domingo (04) com o Oscar de melhor documentário deste ano. Produzido pela Netflix (e já disponível na plataforma), o projeto apresenta um ciclista norte-americano que mergulha em um gigantesco escândalo de doping envolvendo um cientista russo caçado pelo presidente Putin.

O filme concorreu com "Abacus: Pequeno o Bastante Para Condenar", "Visages, Villages", "Últimos Homens em Aleppo" e "Strong Island". 

Após o discurso de agradecimento pelo prêmio, o diretor Bryan Fogel pediu a renúncia do presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach.

"É claro e simples: Thomas Bach precisa renunciar. Ele é um criminoso e o que mostrou para o planeta Terra e para qualquer atleta que acredita no espírito olímpico é não confiar nisso e não confiar nestas palavras. Se você puder comprovar uma fraude desse calibre, que durou por décadas, e em seguida permitir que os 160 atletas do país que cometeu a fraude participem dos Jogos, e depois mesmo que o país não aceite a responsabilidade ou peça desculpas por suas ações, suspender a proibição? Que fraude. Que organização corrupta e que homem que deve se envergonhar. Ele precisa renunciar". 

Oscar