PUBLICIDADE
Topo

"Blade Runner 2049" bate "Star Wars" e vence Oscar de efeitos visuais

Cena de "Blade Runner 2049" (2017), de Denis Villeneuve - Reprodução
Cena de "Blade Runner 2049" (2017), de Denis Villeneuve Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

04/03/2018 23h56

O filme "Blade Runner 2049" venceu o Oscar de efeitos visuais neste domingo (04), batendo grandes blockbusters como "Star Wars: Os Últimos Jedi", "Planeta dos Macacos: A Guerra", "Guardiões da Galáxia, Vol. 2" e "Kong: A Ilha da Caveira".

Um dos principais motivos para a produção dirigida por Denis Villeneuve ganhar tanta repercussão tecnológica foi o complexo processo que levou a atriz Sean Young rejuvenescer 35 anos.

Antes das camadas e mais camadas de textura digital, uma modelo deu formato ao corpo da atriz. Em seguida, a própria Sean gravou diálogos para registrar movimentos faciais da personagem.

"Mostramos as filmagens do novo e do original aos diretores, sem falar qual era cada uma, para ver se eles conseguiam observar a diferença. Ninguém conseguiu", disse Glegg durante a CCXP 2017, em São Paulo, no painel "Recriando o Mundo de Blade Runner".

O estudo vai além do que é visto. Um programa destrinchou o esqueleto da atriz e dezenas de câmeras testadas com luzes diferentes "tiraram" 35 anos de Sean Young, como se ela não tivesse saído do início dos anos 1980.

A versão rejuvenescida de Sean Young (à esq.) e a modelo Loren Peta, que serviu de molde para a personagem - Reprodução - Reprodução
A versão rejuvenescida de Sean Young (à esq.) e a modelo Loren Peta, que serviu de molde para a personagem
Imagem: Reprodução