PUBLICIDADE
Topo

Após uso em protestos, roupa preta é deixada de lado no Oscar

Allison Janney no Oscar 2018 - Getty Images
Allison Janney no Oscar 2018 Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

04/03/2018 20h21

Grande destaque do Globo de Ouro no começo do ano, as roupas pretas do movimento "Time's Up" foram deixadas de lado do Oscar. Muitas atrizes, atores e personalidades do cinema compareceram à cerimônia usando vestimentas coloridas.

Um exemplo foi Allison Janey, que nesta noite concorre ao prêmio de melhor atriz coadjuvante por "Eu, Tonya". Ela apareceu no tapete vermelho com um deslumbrante vestido vermelho. Já Jordan Peele, que pode levar a estatueta de melhor diretor, melhor roteiro e melhor filme por "Corra!", apostou em um terno branco para a premiação.

Kelly Marie Tran, de "Star Wars: Os Últimos Jedi", na cerimônia do Oscar - Carlo Allegri/Reuters - Carlo Allegri/Reuters
Imagem: Carlo Allegri/Reuters
Quem também deixou o pretinho básico de lado foi Kelly Marie Tran. Alçada ao estrelato por seu trabalho em "Star Wars: Os Últimos Jedi", ela compareceu ao Oscar com um longo vestido azul.

O uso de roupas pretas como forma de protesto contra o assédio foi inaugurado na cerimônia deste ano do Globo de Ouro, quando vencedores do prêmio usaram o discurso de agradecimento para chamar a atenção para o problema.

As campanhas surgiram depois de uma série de acusações de assédio e estupro contra o poderoso produtor cinematográfico americano Harvey Weinstein - ele diz que todas as relações sexuais foram consensuais.

Desde que as denúncias vieram a público, várias personalidades usaram as redes sociais para falar sobre o assunto, algumas detalhando o assédio que sofreram.

A hashtag #MeToo ("eu também", em tradução do inglês) passou a ser adotada por homens e mulheres que já sofreram algum tipo de assédio. E astros de Hollywood lançaram a campanha "Time's Up", (algo como "o tempo acabou") para prestar auxílio jurídico a mulheres vítimas de abuso sexual no trabalho.