Topo

Livros e HQs

Livro sobre cura gay de jovens é vetado em escolas e premiado no cinema

Divulgação
A escritora Emily M. Danforth, autora do livro "O Mau Exemplo de Cameron Post" Imagem: Divulgação

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

22/02/2018 04h00

Uma garota de 12 anos que vive em uma cidade conservadora e se descobre gay no mesmo dia em que perde seus pais em um acidente de carro. Essa é a premissa de “O Mau Exemplo de Cameron Post”, livro recém-lançado no Brasil de autoria da norte-americana Emily M. Danforth, que usou partes de sua própria história para criar a jovem personagem que acaba internada em um centro de cura gay.

O livro se passa no começo dos anos 90 e acompanha a garota Cameron Post dos 12 aos 17 anos, desde suas primeiras e ingênuas relações amorosas com meninas na cidade em que vive até a experiência na instituição "Promessa de Deus". Lá ela é obrigada a enfrentar um tratamento sem sentido, mas também encontra o apoio em outros jovens internados. A garota é mandada ao local pela tia e avó conservadoras que assumiram sua criação após ela ficar órfã. A decisão das tutoras é tomada após ela ser flagrada aos beijos com a rainha de formatura do baile da escola.

"Escrevi pensando na Emily de 14 anos que ainda estava dentro do armário, e buscava uma obra infanto-juvenil em que se sentisse representada, mas nunca a encontrava", explica a autora em entrevista ao UOL de Rhode Island, onde vive atualmente. Ela nasceu e cresceu em Miles City, em Montana, mesmo Estado onde vive a protagonista de "O Mau Exemplo de Cameron Post".

Divulgação
Imagem: Divulgação

A ideia de Emily ao publicar a ficção (sua obra de estreia) não era apenas representar o público LGBTQ. A escritora pensou também nas pessoas que não vivem na pele a homofobia. "É claro que eu quero que os trans e gays se identifiquem com a minha obra, mas eu espero que mexa de alguma forma com o público em geral e traga mais aliados para a nossa luta diária contra a intolerância", explica, deixando claro a importância da empatia pela causa. "Não vamos conseguir sozinhos, precisamos das vozes de pessoas cis e héteros", reforça.

A luta tem muito a ver com o atual cenário político. Enquanto no Brasil a obra chega em ano de eleição com o político com discurso anti-gay Jair Bolsonaro como um dos favoritos na disputa presidencial, nos Estados Unidos "O Mau Exemplo de Cameron Post" volta a ganhar atenção seis anos após seu lançamento por causa de uma adaptação para o cinema, em um filme estrelado pela atriz Chloë Grace Moretz e com direção e roteiro de Desiree Akhavan, mulher e gay.

Ao mesmo tempo em que a escritora comemora mais uma vez o destaque do livro, ela lamenta que as lideranças políticas voltem a apoiar em seu discurso uma questão que fere, frustra e mata milhares de pessoas todos os anos.

"Fico assustada e irritada ao ler as notícias hoje em dia, especialmente quando elas mostram as estatísticas de violência contra o público LGBTQ. Houve um aumento desde que Trump assumiu o governo (há um ano)", destaca, dando como mau exemplo o vice-presidente Mike Pence, que apesar de ter amenizado seu discurso nos últimos tempos segue como um defensor da “terapia de conversão” e do uso de recursos do combate ao HIV para manter esses procedimentos.

A norte-americana se mostra preocupada com o aumento da violência contra o público homossexual também no Brasil, onde o seu livro acaba de ser lançado. "Li um artigo no ‘The Guardian’ que indicava que no Brasil 387 assassinatos e 58 suicídios tinham ligação direta com homofobia", diz a autora, citando os dados divulgados pelo Grupo Gay da Bahia sobre o aumento de mortes de gays e trans no ano passado.

Mas Emily vê uma luz no fim do túnel. "Acredito que o poder das pessoas é mais forte do que as pessoas no poder, mas apenas se apoiarmos uns aos outros e usarmos nossas vozes e nossos votos".

Rejeição nas escolas, aprovação no cinema

Divulgação
A atriz Chloë Grace Moretz, protagonista do filme "O Mau Exemplo de Cameron Post" Imagem: Divulgação

Lançado em 2012 nos Estados Unidos, o livro foi muito bem recebido na época, segundo a autora. “Os melhores retornos que recebi foram dos leitores da mesma idade da protagonista, alguns até menores de 12 anos, que escreviam com muita força (e às vezes com muita dor) sobre a forma como se identificaram com a história de Cam”, conta.

Emily, porém, também revela que o livro foi barrado em algumas escolas mais recentemente, coincidindo com o crescimento da onda conservadora no país. “A obra acabou censurada por algumas diretorias de escolas em vários Estados, mas a resposta da comunidade foi bastante positiva. Ao menos fez com que as pessoas falassem sobre o meu livro e os assuntos abordados nele”, explica.

No entanto, uma das maiores aprovações veio recentemente, quando a adaptação para o cinema ganhou o principal prêmio do Festival de Sundance. "Muitas pessoas que conversei sobre o filme nem mesmo sabiam que ainda existem instituições que praticam cura gay nos Estados Unidos. Por isso a importância de contarmos essa história", disse à Variety  Jennifer  Ehle, atriz que interpreta uma das médicas na adaptação.

O filme circula pelos festivais ainda sem previsão de data de estreia no Brasil. Enquanto isso, a versão em português do livro "O Mau Exemplo de Cameron Post" já está à venda com preço sugerido de R$ 39,90.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!