Topo

Entretenimento

Silviano Santiago leva prêmio Jabuti com romance sobre Machado de Assis

Danilo Verpa/Folhapress
31.jul.2014 - O escritor Silviano Santiago fala sobre contracultura, drogas, Aids, amor gay na mesa Porque Era Ele, Porque Era Eu, durante a Festa Literária Internacional de Paraty Imagem: Danilo Verpa/Folhapress

Rodrigo Casarin

Do UOL, em São Paulo

30/11/2017 23h38

Os organizadores do 59º Jabuti, considerado o prêmio mais importante do mercado editorial no país, entregaram o troféu aos vencedores de duas categorias, durante evento promovido em São Paulo, na noite desta quinta-feira (30). "Alfabetização: A Questão dos Métodos", de Magda Soares, e "Machado", de Silviano Santiago, receberam o prêmio de melhor livro do ano não ficção e ficção, respectivamente. Cada escritor recebeu a quantia de R$ 35 mil.

Os vencedores das outras 27 categorias do Jabuti já tinham sido divulgadas mais cedo, na tarde desta terça, pela Câmara Brasileira do Livro, que organiza a premiação. 

Silviano Santiago comemorou o prêmio afirmando que o livro é o resultado da "minha vida de dedicação à literatura". "Me espelho, aos 81 anos de idade, nos últimos anos de vida de Machado de Assis. Tentei elaborar algo sobre isso que, nesse momento, significa a sobrevivência. Aproveito para dedicar esse prêmio aos grandes romancistas que me formaram: Graciliano Ramos, Clarice Lispector, Guimarães Rosa e ao mestre de todos nós, Machado de Assis", discursou o autor mineiro e romancista de "Mil Rosas Roubadas".

No livro "Machado" (editora Companhia das Letras, 424 páginas, R$ 69,90), Santiago recria as últimas passagens de vida de Machado de Assis (1839 - 1908).

Também destaque da noite, Magda Soares (vencedora na categoria não ficção) descreveu o seu sentimento ressaltando a importância do tema alfabetização no livro "Alfabetização: A Questão dos Métodos" (editora Contexto, 384 páginas, R$ 59,90).

"Fico feliz sobretudo por um livro com o tema alfabetização receber esse prêmio, essa questão tão séria que temos nesse país. Não teremos leitores nesse país se não resolvermos o problema da alfabetização das nossas crianças", disse Magda. 

Duas novas categorias foram lançadas neste ano: história em quadrinhos, que anteriormente era contemplada em adaptação, e livro brasileiro publicado no exterior. As duas novas categorias se juntaram às outras 27 existentes. 

A categoria exclusiva para história em quadrinhos atende uma demanda antiga dos quadrinistas brasileiros. No início deste ano, um grupo de escritores divulgou uma carta aberta pedindo a inclusão do gênero no prêmio. Artistas de peso assinaram a carta, como Laerte Coutinho, Eloar Guazzelli, Sidney Gusman, Marcello Quintanilha, Rogério de Campos, Marcelo D'Salete, Mika Takahashi, Bárbara Malagoli, Fábio Moon e Gabriel Bá.

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento