Topo

Entretenimento

Kéfera é condenada a pagar R$ 25 mil a taxista por vídeo de "vingança"

Divulgação
A youtuber Kéfera Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

21/11/2017 18h26

A youtuber e atriz Kéfera, uma das celebridades jovens mais influentes do país, foi condenada a pagar R$ 25 mil em um processo de danos morais movido por um taxista com quem discutiu em 2015. Na ocasião, Kéfera bateu boca com Wlamir Gonçalves da Silva após o motorista reclamar da marmita que a youtuber comia durante uma viagem. O desfecho do caso foi revelado pelo site "Buzzfeed".

Após a discussão, Kéfera foi expulsa do táxi e publicou um vídeo em seu canal pedindo que fãs denunciassem o taxista para que ele deixasse a profissão, divulgando o número do celular dele e a placa do carro. Nervosa, Kéfera descreveu o episódio como humilhação por parte do motorista e comparou a situação a um filme de terror.

"Nunca passei por isso com taxista. Ele foi muito escroto. Estou com a placa do carro e o nome dele. Vou ligar para o DTP e vamos mostrar para ele como se trata um cliente de forma humana, porque o que ele fez comigo não vale", diz ela no vídeo. Depois de publicá-lo em seu canal, a youtuber ainda postou outros vídeos explicando a situação e pedindo para que seus seguidores parassem de ameaçar o motorista, que já havia sido afastado do aplicativo Easy Táxi. A publicação original foi então deletada pela youtuber.

No entendimento do Juiz Jair de Souza, da 1ª Vara Cível de São Paulo, o vídeo foi uma forma de "vingança privada" contra Wlamir, que pedia quase R$ 100 mil. No mesmo processo, o YouTube foi condenado a retirar do ar o vídeo, que foi republicado por outros usuários da plataforma.

"Extrai-se o uso inconsequente destas vias para macular a honra e a imagem do requerente implicou em transtornos que em muito extrapolam a esfera do dissabor, a ponto de criar uma verdadeira onda de ódio e perseguição a sua pessoa, principalmente no ambiente em que aufere renda e sustento", destacou o magistrado na sentença, protocolada no último dia 13.

Na decisão, o juiz salienta que o motorista recebeu 5.000 ligações com ameaças, inclusive de morte.

Acusação de machismo

Kéfera, que diz que o taxista foi machista ao chamá-la "vagabunda" por estar usando short, vai recorrer da decisão. "Ele foi muito errado, me largou no meio da Marginal [em São Paulo]. Me xingou de vagabunda, me mandou à merda, foi pra cima de mim, tirou o cinto, abriu a porta e me fez sair do carro à força. A decisão [que determinou a indenização] está completamente equivocada", disse ela ao "Buzzfeed".

Segundo a youtuber, o taxista também divulgou seu endereço em uma entrevista, e, por causa disso, acabou também sendo alvo de ameaças.

Uma das youtubers mais populares do país, principalmente entre adolescentes, Kéfera tem quase 11 milhões de seguidores em seu canal, em que fala de temas cotidianos e apresenta paródias e esquetes. Além do trabalho digital, a jovem paranaense, que tem 24 anos, já lançou livro e estrelou filmes.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento