Livros e HQs

Trans, prostituta e brasileira: conheça Lord Fanny, heroína obscura da DC

Reprodução
A personagem brasileira Lord Funny, criada pela DC por meio do selo Vertigo Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

09/10/2017 04h00

Há quem jure que as grandes paixões brasileiras, marcas maiores do nosso cotidiano e cultura, são quatro: futebol, Carnaval, cerveja e ...travestis. Brincadeiras (com fundo de verdade) à parte, o fato é que há muito tempo o imaginário transgênero vem sendo recorrentemente associado às mais diversas representações nacionais. E nos quadrinhos a história não difere.

Prova disso é a personagem Lord Fanny, uma brasileira transexual criada pela gigante DC Comics como uma das protagonistas da HQ “Os Invisíveis”. Obra do roteirista Grant Morrison e do desenhista Steve Yeowell, lançada pelo selo adulto Vertigo, ela apareceu pela primeira vez no número 2 da revista, editada em 1994, anos antes de o debate da igualdade de gênero ferver o caldo das redes sociais.

Reprodução
A personagem Lord Fanny Imagem: Reprodução

Eis a história de Lord, identidade secreta de Hilde Morales: descendente de mexicanos, a carioca nasceu menino e foi criada como menina pela avó, que precisava de uma herdeira para perpetuar na família sua linhagem de bruxas. Seguindo os ensinamentos místicos, a jovem adota a deusa da obscenidade como guia e assim entra de cabeça no mundo da prostituição. A coisa muda no dia em que ela é brutalmente estuprada em um clube noturno.

O trauma, que quase resulta em suicídio, leva Fanny ao grupo anarquista Os Invisíveis, uma equipe de “desajustados” unida para combater a opressão. No caso, a de demônios alienígenas que querem escravizar a raça humana. Junto dos colegas, ela desenvolve seus poderes ligados ao xamanismo. Ela é um tipo de feiticeira que utiliza em seus encantos artefatos como máquinas fotográficas Polaroid, milho e até esperma humano.

Seus parceiros são King Mob, especialista em artes marciais e poderes psíquicos, Ragged Robin, uma jogadora de tarot realmente capaz de antever o futuro, Jack Frost, um “hooligan” que deixa a escola após atear fogo na biblioteca, e Boy, uma ex-policial de Nova York que se torna mentora de Frost. O grupo é anarquista e age a partir de táticas de guerrilha. As aventuras, sombrias, incluem viagens no tempo repletas de referências à literatura, metafísica, mitologias e conceitos como o da Teoria do Caos.

Reprodução
A carioca Lord Fanny beija personagem em "Os Invisíveis" Imagem: Reprodução

Sucesso de público e crítica

Publicada originalmente entre 1994 e 2000, "Os Invisíveis" conquistou milhares de leitores e críticos no mundo, influenciando os quadrinhos e outras searas. Grant Morrison, inclusive, chegou a processar as irmãs Wachowski (na época, "irmãos", antes de passarem por transição de gênero), diretoras de “Matrix”, por supostas semelhanças do filme com seu submundo apocalíptico.

Atualmente, com a popularidade das franquias de heróis, que dão espaço até a figuras anarquicamente subversivas como o insano Deadpool, da Marvel, há quem tenha esperança de um dia ver a saga nas telas do cinema ou, pelo menos, em alguma série. É improvável, mas não impossível.

A explicação desse sucesso, que chegou a fazer da HQ o principal título da Vertigo na época, passa pela proposta inovadora da história, uma das primeiras de uma grande editora a fugir radicalmente de padrões maniqueístas, dando voz a minorias e figuras fora de padrões de comportamento, alto extremamente atual.

A série também é colheu elogios por retratar com tato e profundidade o início da revolução na relação homem-tecnologia, com todas as implicações éticas, morais e políticas que esse novo mundo nos impõe e transforma.

Ou seja, se você é fã de quadrinhos e não tem medo de se chocar com histórias fora da curva, há motivos de sobra para ir atrás das edições de "Os Invisíveis". Por aqui, elas ganharam versão em português com editoras como Magnum, Tudo em Quadrinhos e, mais recentemente, pela Panini Comics, que enfim completou a saga.

Reprodução
"Os Invisíveis", história de "desajustados" que combatem forças malignas Imagem: Reprodução

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

EFE
AFP
BBC
Página Cinco
UOL Jogos
UOL Jogos
Página Cinco
AFP
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
BBC
Página Cinco
AFP
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
do UOL
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
do UOL
do UOL
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
UOL Jogos
do UOL
AFP
BBC
BBC
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Da Redação
AFP
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Da Redação
Topo