Topo

Virada Cultural

Show do Tchan na Virada tem troca de local, trio parado e lona improvisada

Natalia Guaratto

Do UOL, em São Paulo

21/05/2017 16h04

A chuva que caiu no começo da tarde deste domingo (21) atrapalhou a animação de quem compareceu ao centro de São Paulo para seguir o Cortejo 90tinha, com axé e pagode dos anos 90. Em vez de segurar o Tchan, o público precisou segurar o guarda-chuva para assistir à apresentação de Compadre Washington e Beto Jamaica na Virada Cultural.

Por conta do mau tempo, o trio não se apresentou em movimento. O caminhão de som não saiu do Theatro Municipal, conforme informado na programação do evento. Em vez disso, foi estacionado nas imediações da praça da República e deixou o público perdido. Uma lona preta foi instalada para proteger os músicos da chuva.

Por volta das 14h, o É o Tchan começou o show, cantando sucessos como "A Dança do Bumbum" e "Dança da Cordinha". Pouca gente se arriscou a fazer as coreografias.

A apresentação teve ainda a presença do grupo Molejo, que se revezou com o É o Tchan no trio.

Com a chuva mais amena, os grupos conseguiram animar a plateia, relembrando sucessos de outras bandas do axé como Harmonia do Samba e Companhia do Pagode.

"Mesmo com essa chuva vocês estão animados. Isso está bom demais", observou Compadre Washington. 

Anderson Leonardo, vocalista do Molejo, aproveitou o evento para comunicar ao público uma parceria do grupo com o É o Tchan.

"Fora Temer" e não à homofobia

A apresentação terminou com Beto Jamaica fazendo um discurso contra a homofobia. "Miga, sua louca. Vamos todos nos abraçar. Todo mundo é igual. Chega de intolerância, chega de homofobia", pediu o músico.

Após o grupo deixar o trio, a plateia permaneceu em frente à República, fazendo coro contra o presidente Michel Temer. "Olê, Olê, Olê, Olê, fora Temer", gritaram os presentes.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!