Entretenimento

Valor de obras de Basquiat e Doig pode bater recorde em leilões

Divulgação
Quadro de Jean-Michel Basquiat Imagem: Divulgação

Katya Kazakina

Bloomberg

20/04/2017 15h19

Dois artistas contemporâneos de renome estão prestes a superar seus próprios recordes de venda em leilões programados para maio em Nova York.

Uma paisagem de Peter Doig, artista escocês de 58 anos que mora em Trinidad e Tobago, irá a leilão na Phillips por um valor estimado em mais de US$ 25 milhões, em 18 de maio. No mesmo dia, em seu leilão de arte contemporânea e do pós-guerra, a Sotheby's colocará à venda um quadro com um crânio pintado por Jean-Michel Basquiat, estimado em mais de US$ 60 milhões.

Esta rodada de leilões semestrais será um teste-chave para o mercado de arte depois da retração vista em 2016, quando as vendas globais em leilões mostraram queda de 26 por cento. A nova temporada tem sua parcela de obras premiadas, como outro Basquiat colocado à venda na Christie's pelo bilionário gestor de fundos Steven A. Cohen.

Para conseguir acesso às obras, as casas de leilões oferecem aos vendedores preços mínimos como garantia, que não são revelados. A Sotheby's está usando o próprio dinheiro para o leilão de Basquiat. A Philips informou que uma terceira parte, cujo nome não foi revelado, está financiando sua garantia.

Divulgaēćo
"Rosedale", pintado por Peter Doig Imagem: Divulgaēćo

Coleção de Família

O Basquiat da Sotheby's foi comprado em um leilão por US$ 19.000, em 1984, e permaneceu com a mesma família por 34 anos, segundo a casa de leilões. A tela de um grande crânio, pintada em 1982, é marcada com rabiscos semelhantes ao grafite com um fundo azul. É uma versão menor do quadro da coleção do bilionário Eli Broad, considerado uma das obras-primas do artista que morreu em 1988.

"Rosedale", pintado por Doig em 1991 e que retrata uma casa de tijolos vermelhos por trás de um véu de flocos de neve e galhos de árvores, nunca foi a leilão, segundo a Phillips. A obra está sendo vendida por colecionadores asiáticos que a compraram em uma venda privada há cerca de três anos, segundo duas pessoas com conhecimento do assunto. Um porta-voz da Phillips não quis comentar sobre a identidade dos vendedores.

A Ásia tem sido um mercado-chave para ambos os artistas. O recorde atual é do bilionário japonês Yusaku Maezawa, que pagou US$ 57,3 milhões por um Basquiat em um leilão realizado pela Christie's em maio de 2016.

O colecionador de Taiwan Pierre Chen comprou "Swamped", de Doig, que retrata uma canoa branca em um lago, por US$ 25,9 milhões, o recorde para uma obra do artista, em um leilão da Christie's realizado em 2015. A primeira exposição exclusiva do artista na China foi aberta no mês passado na Fundação Faurschou, em Pequim, cujo curador é Francis Outred, presidente do conselho da Christie's.

Doig, que pinta apenas alguns quadros por ano, está entre os poucos artistas vivos cujos quadros foram vendidos por mais de US$ 25 milhões em um leilão. O grupo também inclui Jasper Johns, Gerhard Richter e Christopher Wool.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo