Topo

Livros e HQs

Aos 91 anos, morre o filósofo polonês Zygmunt Bauman

Michal Kamaryt/AP Photo
Imagem: Michal Kamaryt/AP Photo

Do UOL, em São Paulo

09/01/2017 15h04

Morreu aos 91 anos, em Leeds, na Inglaterra, o filósofo e sociólogo contemporâneo Zygmunt Bauman, informou o site polonês "Gazeta Wyborcza". Bauman era um dos intelectuais do século 20 mais importantes e prolíficos ainda vivos.

Divulgação
O sociólogo polonês Zygmunt Bauman Imagem: Divulgação
De acordo com o periódico, o filósofo morreu em casa, cercado por sua família e amigos. A causa da morte não foi divulgada.

Suas obras mais conhecidas no Brasil foram "Modernidade Líquida" (2000), "Amor Líquido: Sobre a Fragilidade dos Laços Humanos" (2003), "Vida Líquida" (2005) e "Tempos Líquidos" (2006).

Bauman continuou ativo até o fim da vida e sua nova obra, "Estranhos à Nossa Porta", será lançada no Brasil nesta quinta-feira (12). O livro, de 120 páginas, lançado no ano passado na Inglaterra, aborda a crise migratória na Europa.

Nascido em Poznan, na Polônia, em 1925, ele vivia em Leeds, onde lecionava. O escritor ficou conhecido por seus trabalhos teóricos na chamada "sociedade líquida". Para ele, a sociedade contemporânea, social e política é "fluída", causada pela globalização, pela dinâmica consumista e pelo colapso das ideologias na pós-modernidade.

Bauman tinha ascendência judaica e fugiu da perseguição nazista para a União Soviética em 1939, onde viveu até 1969 e se aproximou da ideologia marxista. No pós-guerra, ele retornou para a Polônia e depois para a Inglaterra, onde produziu a maioria de seus livros.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!