Entretenimento

Biografia em quadrinhos rara de Silvio Santos será republicada em 2017

Divulgação
Detalhe do quadrinho restaurado contando a história de Silvio Santos Imagem: Divulgação

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

08/12/2016 18h46

Silvio Santos ganhou a sua primeira biografia em 1969, doze anos antes de fundar o SBT. Escrita pelo roteirista Rubens Francisco Lucchetti e ilustrada por Sérgio M. Lima, a obra saiu em formato de história em quadrinhos e é até hoje a única autorizada pelo apresentador.

Batizada de “Silvio Santos: Luta e Glória”, a HQ teve tiragem de 200 mil exemplares que se esgotaram rapidamente. Atualmente, cada cópia é disputada a tapas por colecionadores em todo o país.

Pensando nisso, o escritor Rafael Spaca revelou ao UOL que vai relançar a obra pela editora Avec provavelmente no segundo semestre de 2017, com a bênção do autor, Rubens Francisco Lucchetti, e colorizado pelos alunos da Faculdade Rio Branco, em São Paulo.

Há mais de 50 anos em atividade, Silvio Santos é um dos maiores comunicadores do Brasil e a poucos dias de completar 86 anos, em 12 de dezembro, ele ganhou também uma exposição no MIS (Museu da Imagem e do Som) de São Paulo.

De acordo com Spaca, a história original não será modificada. “Este quadrinho é considerado a primeira biografia de Silvio Santos e escrita por ninguém menos que o Lucchetti, um dos maiores roteiristas de quadrinhos e TV do Brasil”, afirma.

Artur Vecchi, dono da Avec Editora, responsável por publicar a nova edição do quadrinho, confirmou ao UOL que a obra vai sair no segundo semestre. A tiragem, no entanto, será de apenas mil exemplares.

“Podemos imprimir mais caso a procura seja grande”, disse Vecchi. A HQ vai sair no tamanho de uma folha A4, com capa cartonada e papel couché. O preço deverá girar em torno de R$ 35. "Enviaremos uma cópia ao Silvio Santos. Não precisamos da aprovação dele, porque tecnicamente ela já foi dada quando a história foi publicada anos atrás. Além disso, o autor ainda está vivo. Mas, seria ótimo se ele aprovasse também esta reedição", explicou o editor.

O gibi conta a história de Silvio Santos, desde a infância, quando trabalhou como camelô, passando pelo serviço na Aeronáutica como paraquedista, até a mudança para São Paulo.

“Todas as quintas-feiras, por volta do meio-dia, eu ia aos estúdios da Rádio Nacional, em São Paulo, onde o Silvio gravava seus programas. Ele me recebia numa sala minúscula e colocava um relógio sobre a mesa. Durante dez minutos, ele me falava sobre a sua vida e assim que acabava o tempo, eu tinha que ir embora”, lembra o autor Lucchetti.

“Fiz isso umas quatro ou cinco vezes. Num dia, o Silvio me disse: ‘Não tenho mais o que contar e daqui em diante tudo quanto você criar, será minha biografia oficial’. Não foi o que eu fiz, obviamente. Encerrei a biografia até onde ele me contou”, disse Lucchetti, que escreveu um texto introdutório para a nova edição da HQ.

Embora esteja satisfeito com a republicação da sua HQ, Lucchetti revelou que preferia que as páginas não fossem coloridas. "O lançamento foi feito em preto e branco. Mas, entendo a importância de colorizar os quadrinhos para atrair a atenção da nova geração."

O roteirista relembrou ainda que o gibi do Silvio Santos só virou realidade porque a editora Prelúdio comprou muito papel para publicar as HQs do Zé do Caixão, com roteiros de sua autoria.

Mas o cineasta mudou de editora, e o dono da empresa, Armando Augusto Lopes, ficou com o prejuízo na compra do material. “O editor era meu amigo e foi até a minha casa me pedir sugestões."

"Pensei em fazer uma HQ do quadro ‘Histórias que o povo conta’, do Silvio Santos. O Armando gostou da ideia e fomos pedir autorização para o Silvio. Quando estávamos saindo da reunião com ele, eu criei coragem e perguntei: que tal uma biografia sua em quadrinhos? Para a minha surpresa, ele aceitou”, lembrou o roteirista.

“O Silvio Santos é um fenômeno para mim. O programa dele não tem praticamente nada, mas ele segura a sua atenção só com o seu carisma. O Chacrinha debochava do governo jogando bacalhau no público. O Silvio debocha jogando dinheiro. Dois gênios da TV”, finaliza o autor.

Os responsáveis pela restauração serão os alunos de design da faculdade Rio Branco, em São Paulo. O diretor acadêmico da instituição, Alexandre Uehara, disse que se trata de um meticuloso trabalho manual.

“Os alunos, orientados pelos professores, vão trabalhar as imagens e até a própria redação dos textos, já que foram escritos na gramática antiga. Pretendemos terminar o trabalho até meados do ano que vem para dar tempo de entregar na gráfica”, revelou Uehara. "As páginas com os anúncios publicitários antigos serão substituídas por um making of dos alunos e outras curiosidades sobre a HQ", concluiu.

Divulgação
O editor da Prelúdio, Armando Augusto Lopes (no centro) e o ilustrador Rubens Lucchetti (de óculos) no dia em que Silvio autorizou a publicação da HQ Imagem: Divulgação

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Entretenimento

Topo