PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Jô defende lei Rouanet, mas diz que ela está sendo usada de forma errada

Do UOL, em São Paulo

30/06/2016 03h59

Jô Soares decidiu se manifestar sobre os escândalos envolvendo a lei Rouanet. Durante seu programa desta quarta-feira (29), o apresentador disse que espera que as recentes polêmicas como a operação “Boca Livre” não acabem com o “instrumento de fomento à cultura”.

“A lei Rouanet é muito importante para ajudar os profissionais que necessitam montar trabalhos e não têm recursos. Hoje em dia é muito difícil você montar um espetáculo sem essa captação. Não é preciso acabar com a lei para você transformá-la em algo justo e bem policiado. A lei está sendo usada de uma forma louca, como, por exemplo, para patrocinar festas. Em contrapartida, tem produções de grupos pequenos que ficam na fila um tempão esperando e não recebem nada. É impressionante como utilizam de maneira errada uma lei que é feita para o bem, para o desenvolvimento cultural”, disse.

Criticado por muitas pessoas por supostamente ter recebido R$ 1,9 milhão para a realização da peça intitulada  'Tróilo e Créssida', de William Shakespeare, Jô fez questão de deixar claro que nunca captou um centavo pela Lei Rouanet.

“Eu nunca usei a Lei Rouanet porque eu não sou e jamais serei produtor de espetáculos. Eu sou diretor”, disse o apresentador, arrancando aplausos da plateia.

A Lei Rouanet foi criada no governo Fernando Collor (PTC/AL), em 1991. A legislação permite a captação de recursos para projetos culturais por meio de incentivos fiscais para empresas e pessoas físicas. Na prática, por exemplo, a Lei Rouanet permite que uma empresa privada direcione parte do dinheiro que iria gastar com impostos para financiar propostas aprovadas pelo MinC para receber recursos.

Entretenimento