PUBLICIDADE
Topo

Projeto no Rio debate a violência contra a mulher através de peças teatrais

Peça "O Corpo da Mulher Como Campo de Batalha", de Matéi Visniec e direção Fernando Philbert - Ana Alexandrino
Peça "O Corpo da Mulher Como Campo de Batalha", de Matéi Visniec e direção Fernando Philbert Imagem: Ana Alexandrino

Do UOL, no Rio de Janeiro

31/05/2016 12h32

Como parte das temporadas dos espetáculos "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha" e "Bonecas Quebradas", o Sesc Copacabana recebe o projeto Mulheres em Cena - Corpo e Violência até o final de junho. A entrada é gratuita em todas os filmes e debates do projeto.

Diariamente, um grande número de mulheres, adolescentes e meninas são submetidas a alguma forma de violência, fruto de uma desigualdade extrema historicamente construída, que passa pelos campos social, cultural, político e econômico. Pensando nessa questão, além das duas peças em cartaz, o projeto reúne palestras, filmes e debates que refletem sobre a condição da mulher.

Em cartaz desde o dia 26 de maio, a peça "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha", de Matéi Visniec, mostra a história de duas mulheres que se cruzam depois do conflito bósnio, uma terapeuta norte-americana e uma bósnia vítima de estupro. Juntas, as protagonistas revelam suas histórias numa tentativa de encontrar forças para continuar suas trajetórias. O espetáculo fica em cartaz no Sesc Copacabana até 19 de junho, de quinta a sábado às 19h, e domingo às 18h, com ingressos a R$20 (inteira). Como parte do projeto, haverá sessão da peça seguida de debate nos dias 2 e 16 de junho.

O espetáculo "Bonecas Quebradas" é uma obra teatral performática das atrizes Luciana Mitkiewcz e Lígia Tourinho. O drama documental é inspirado nos casos de feminicídio em Ciudad Juarez, no México, que desde 1993 contabiliza milhares de assassinatos de mulheres sem a devida punição. A peça fica em cartaz de 9 a 26 de junho, na primeira semana será apresentada de quinta a sábado às 21h, e domingo às 20h, e na semanas seguintes também às quartas, às 21h. No projeto, será exibida seguida de debate no dia 26 de junho, encerrando a programação.

Confira a programação completa do evento:

Terça (31), às 19h
Sessão de Cinema I - "Miss Bala": Laura Guerro (Stephanie Sigman) e Suzu (Lakshmi Picazo), moradoras de Tijuana, estão muito animadas com o concurso de beleza Miss Baja. Aceitas pela organização, vão comemorar em um bar, mas um ataque criminoso as separa. Procurando pela amiga desaparecida desde o acontecido, Laura acaba chamando a atenção do cartel de drogas local, que decide usar sua beleza - Debatedor: Rodrigo Mac Niven (cineasta).

Quarta (1º), às 19h
Sessão de Cinema II - "Dr. Mukwege - O homem que consertava as mulheres": Harriet Vanger (Ewa Fröling) desapareceu há 36 anos, sem deixar pistas, na ilha de Hedeby. O local é de propriedade quase exclusiva da família Vanger, que o torna inacessível para a grande maioria das pessoas. A polícia jamais conseguiu descobrir o que aconteceu com a jovem, que tinha 16 anos na época do sumiço. Mesmo após tanto tempo, seu tio ainda está à procura de Harriet - Debatedores convidados: Bernard Quentin (Cônsul-Geral da Bélgica), Comba Marques Porto (juíza aposentada do TRT, feminista, escritora, autora do livro "A Arte de Ser Ousada, Uma homenagem a Carmen da Silva).

Quinta (2), às 19h
Sessão do espetáculo "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha" seguido de debate - Debatedores convidados: Andréa Pachá (juíza da Vara de Família no TJ-RJ, autora de vários livros, dentre eles "A Vida Não é Justa" e  "Segredo de Justiça"), Carlos Eduardo Leal (psicanalista, escritor e artista plástico), Cecilia Boal (psicóloga), e Silvia Alexim Nunes (integrante do Espaço Brasileiro de Estudos Psicanalíticos e pesquisadora do grupo Epos, autora do livro "O corpo do diabo entre a cruz e a caldeirinha: um estudo sobre a mulher, o masoquismo e a feminilidade").

Quinta (16), às 19h
Sessão do espetáculo "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha" seguido de debate - Debatedores convidados: Carla Rodrigues (Professora de filosofia da UFRJ, escritora, pesquisadora nas áreas de filosofia, gênero e psicanálise), e José Muiños Piñeiro Filho (Desembargador, atuou como promotor de justiça no caso Daniela Perez).

Domingo (26), às 20h
Sessão do espetáculo "Bonecas Quebradas" seguido de debate de encerramento "Ativismo em cena - um cenário de corpos quebrados" - Debatedores: Ilea Ferraz, Lígia Tourinho, Luciana Mitkiewicz, e João das Neves.

Serviço
Projeto Mulheres em Cena - Corpo e Violência
Quando:
até 26 de junho de 2016, confira a programação completa no site oficial. Espetáculo "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha", até 19 de junho, de quinta a sábado às 19h, e domingo às 18h; espetáculo "Bonecas Quebradas", de 9 a 26 de junho, na primeira semana será apresentada de quinta a sábado às 21h, e domingo às 20h, e na semanas seguintes também às quartas, às 21h.
Onde: Sesc Copacabana - Rua Domingos Ferreira, 160 - Copacabana.
Quanto: Entrada gratuita nos filmes e debates. Nos demais dias, o ingresso para as peças "O Corpo da Mulher como Campo de Batalha" e "Bonecas Quebradas" custa R$20 (inteira).
Mais informações: (21) 2548-1088 e www.sescrio.org.br