Topo

Entretenimento

Whindersson Nunes leva o Nordeste ao topo do YouTube e desdenha da TV

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

30/05/2016 06h00

Whindersson Nunes tem uma rotina digna de rock star. O piauiense faz 32 shows por mês e chega a passar por três estados diferentes a cada semana. Nas andanças, carrega uma guitarra ou o violão (que adora tocar desde pequeno) e já se viu acuado no camarim com uma invasão de fãs, mas sua vocação mesmo é fazer rir.

“Sabe como é. O Nordeste é humor. Você vai comprar pão de manhã, o padeiro já faz piada e a fila ri. Faz parte do dia a dia das pessoas”, explica. 

Honrando a tradição dos grandes humoristas brasileiros, como Chico Anysio ou Tom Cavalcante, ele é mais uma estrela a surgir, desta vez longe da televisão. 

Aos 21 anos, ele é o brasileiro mais influente da promissora atual geração do YouTube. No quesito popularidade, ultrapassou a youtuber Kéfera e só perde para o coletivo “Porta dos Fundos”. São 8,6 milhões de seguidores no canal que leva seu nome pouco usual. “Parece senha de wi-fi”, faz piada. “Meus pais devem ter se inspirado no inferno. Nem pergunto de onde tiraram, tenho medo de saber.”

Por conta disso, faz questão de se apresentar como "Lampião do YouTube". "É para a negada saber que sou de lá mesmo e que o segundo maior canal do do Brasil é nordestino", defende.

Em seus vídeos, o que reina são os assuntos aleatórios -- de virgindade à Whatsapp --, imitações e paródias (reunidas em um CD, a venda por R$ 20 em seu site oficial). No mais recente, lançado na semana passada, ele imita Dilma Rousseff e Marina Silva para dizer que não entende nada de política.

Em cinco dias, o vídeo teve 3,5 milhões de visualizações, o que equivaleria, já de cara, a cerca de 17 pontos de Ibope na televisão. O custo da produção, no entanto, é próximo a zero.

No lugar de um cenário colorido, um quarto de hotel (sempre) desarrumado. Ao invés de maquiagem e roupas descoladas, ele prefere gravar sem camisa ou com roupas no estilo ‘street wear’. O segredo do sucesso? Ele se pergunta desde quando começou a ganhar views. “Talvez eu deva falar o que o pessoal já pensa, mas não se liga. Eles se identificam, se sentem próximos, se sentem amigos.”

Divulgação
Whindersson Nunes mostra a força: 8,6 milhões de seguidores no YouTube e shows esgotados pelo país Imagem: Divulgação

Paga-se com capinha de celular

Ironicamente, o jovem resolveu criar o canal e o show após uma sequência de negativas em testes para a TV.

“O YouTube para mim é uma grande escada. Ela ajuda você a estar em um lugar que você só conseguiria se estivesse na televisão, e na televisão só entra quem o pessoal da televisão quer que entre”, ele disse ao UOL, um dia depois de lotar o Oi Casa Grande, uma das casas de shows mais procuradas na zona sul do Rio de Janeiro.

Hoje, não apenas não precisa da televisão, como nunca mais ligou uma. “É tipo quando a gente gosta de jogar videogame na casa do amigo, mas quando compramos o próprio videogame a gente enjoa porque abusa? É mais ou menos isso”, diz. 

Mesmo assim, programas da TV Globo como “Encontro com Fátima Bernardes”, “Altas Horas” e “Caldeirão do Huck” já tiveram Whindersson em seus sofás. “Não vejo nem os que eu participo”, complementa, dando um bocejo, enquanto core para o aeroporto com destino ao Pará.

Os planos para o futuro são mais simples, como voltar a dormir na própria cama, na casa dos pais, em Sobral, no Ceará, e passar mais tempo com a namorada, a também Youtuber e cantora Luísa Sonza. “Gaaaaaata, a bicha é gata”, faz questão de ressaltar.

Nas redes sociais, também tem feito um exame de consciência. No mesmo dia em que uma adolescente fora vítima de um estupro coletivo no Rio de Janeiro, alguém revirou sua conta no Twitter e pescou uma piada sobre estupro, vinda de 2014. "Estupro é uma palavra muito forte, prefiro chamar de sexo surpresa", disse, na época.

O tweet, assim como um vídeo em que ironiza o tema, foi apagado. Nas redes sociais, o youtuber se mostrou arrependido. "Minha mentalidade era outra, tinha uma mentalidade totalmente infantil", disse. "E me arrependo, porque eu tenho irmã, tenho mãe, e tenho medo, medo de acontecer com as pessoas que amo". 

Com ou sem polêmica, a agenda continua. Em São Paulo, ele será o grande destaque do Festival dos Youtubers,  que contará com outros representantes dessa onda musical no YouTube, como Gabi Luthai, Sofia Oliveira, Mariana Nolasco, Tauz e Mussoumano. O evento, promovido pela Vevo, acontece no dia 8 de junho, na Brook's, com plateia reservada para os vencedores de uma promoção de uma grande marca de refrigerantes.

Pelo menos tem dinheiro entrando na conta, certo? “O pessoal não paga em dinheiro. Paga em alimento, capinha para celular”, brinca.
 

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento