PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Estúdio cancela contrato com desenhista após comentário sobre estupro

O desenhista brasileiro Allan Goldman - Reprodução/Instagram/goldmanpenciller
O desenhista brasileiro Allan Goldman Imagem: Reprodução/Instagram/goldmanpenciller

Do UOL, no Rio

29/05/2016 21h17

A Chiaroscuro Studios anunciou neste fim de semana que resolveu romper o contrato com o quadrinista Allan Goldman. Na última sexta-feira, o brasileiro, ilustrador de publicações da DC Comics como "Jovens Titãs" e "Superman", fez um comentário em seu perfil no Facebook sobre o estupro coletivo sofrido por uma adolescente de 16 anos na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

No post, excluído depois da repercussão, o desenhista, que apoia o deputado Jair Bolsonaro em sua foto de perfil, faz uma provocação: "O que acontece se os 30 estupradores da menina alegarem que são mulheres? Segundo a ideologia de gênero dos esquerdistas, uma pessoa é o que sente, e sua biologia não importa. A sociedade é obrigada a aceitar essa decisão, senão é fascismo! Como a Justiça irá julgar o caso de uma mulher que foi violentada por 30 mulheres? Fiquei curioso agora".

Comentário do desenhista Allan Goldman sobre estupro coletivo - Reprodução/Facebook/Allan Goldman - Reprodução/Facebook/Allan Goldman
Comentário do desenhista Allan Goldman sobre estupro coletivo
Imagem: Reprodução/Facebook/Allan Goldman

No sábado, a Chiaroscuro anunciou que decidiu "encerrar o relacionamento com artistas não alinhados com valores que, para nós, são absolutamente inegociáveis". Sem citar o nome de Goldman, afirmou que "a apologia e banalização da violência e da discriminação não cabem mais na sociedade e tampouco em nossa empresa".

Procurado pela reportagem, o desenhista não foi encontrado para comentar o caso.

Entretenimento