PUBLICIDADE
Topo

Depois de cinema e TV, "Gabriela" de Jorge Amado chega ao teatro em musical

Do UOL, em São Paulo

24/05/2016 20h37

Depois de ser eternizada por Sonia Braga, Gabriela ganhará vida no teatro na pele de uma atriz ainda desconhecida do grande público, a paraense Daniela Blois.

Recém-formada em medicina, a jovem de 26 anos assume em seu primeiro papel no teatro a célebre personagem de Jorge Amado, que também já foi interpretada por Juliana Paes na mais recente adaptação para a TV, em 2012.

Vivendo em Manaus, Daniela costumava cantar na noite. Ela foi alertada por colegas artistas sobre a vaga para o musical de João Falcão. No anúncio, o diretor que revelou Lázaro Ramos e Wagner Moura apenas pedia "uma moça maior de 18 anos, brasileira, linda e que saiba cantar." 

Interpretando uma personagem que exala sensualidade, a jovem Daniela Blois explode no palco, mas é discreta e até tímida diante da imprensa e dos colegas de elenco. A caracterização de Gabriela antes e depois de conhecer Nacib e chegar a Ilhéus também impressiona, dando a impressão de duas atrizes diferentes.

"Sempre cantei e tinha vontade de trabalhar com isso. Aproveitei meu jeito moleca que já é parecido com a Gabriela e procurei a sensualidade que não tinha tão aflorada observando as meninas na rua", explica.

A personagem principal também elogia muito os colegas de elenco, que costumam dar dicas para a novata. "Para mim é como um sonho, vai ser uma história ótima para eu contar posteriormente." 

João Falcão se justifica sobre a preferência por atores crus: "Prefiro trabalhar com pessoas que estejam muito disponíveis para o papel". Os outros profissionais escalados só foram descobrindo seus papéis durante os ensaios, em um processo natural e orgânico.

"João chama e convoca o Brasil inteiro para esse projeto", elogia Maurício Tizumba, o mais velho do elenco de 21 atores. "Melhorei muito e estou rejuvenescido com esse trabalho", diz o artista mineiro de 58 anos, que canta e atua no espetáculo.

Sem cenário, o musical se constrói a partir do jogo de luzes e do caprichado figurino. Um recurso de esteiras no chão do palco traz movimento tanto para a caminhada dos retirantes pelo sertão da Bahia como para cenas mais clássicas da obra de Jorge Amado, como a de Gabriela escalando o telhado.

Outra grande contribuição é a direção musical do também jovem Tó Brandileone, do coletivo 5 a Seco. Com uma banda de cinco músicos que fica exposta ao público, o músico apostou em uma percussão caprichada unida a clássicos brasileiros. No repertório de 30 músicas, entram desde "Rosa", de Pixinguinha, passando por "Festa", de Gonzaguinha, "Que Me Venha Esse Homem", de Amelinha e "Vilarejo", de Marisa Monte. 

“Só é possivel montar um musical sem canções próprias porque a música brasileira é o que é, tão rica de poetas”, explica o diretor sobre a seleção do repertório da peça.

"Gabriela, Um Musical" estreia em São Paulo no dia 9 de junho (quinta-feira) e fica em cartaz até 7 de agosto no teatro Cetip, que fica dentro do Instituto Tomie Ohtake, em Pinheiros.

Segundo a produtora Almali Zraik, a próxima cidade a receber a principal personagem de Jorge Amado deve ser o Rio de Janeiro. A ideia é que o musical rode por todo o país.

Serviço
"Gabriela, Um Musical"
Quando:
Temporada de 9 de junho a 7 de agosto de 2016. Sessões: quintas e sextas, às 21h; sábados, às 17h e 21h; domingos às 18h
Onde: Teatro Cetip - Rua Coropés, 88, Pinheiros
Quanto: De R$ 30 (meia entrada plateia superior B) a R$ 190 (plateia premium)
Pontos de venda: Bilheteria do teatro, postos de venda da Tickets For Fun ou pela internet no site ticketsforfun.com.br
Classificação livre. Menores de 12 anos acompanhados dos pais ou responsáveis