Entretenimento

Novo "Terça Insana" é mais "cutucativo", diz Gianoukas nos 15 anos da peça

Divulgação
Grace Gianoukas em cena do novo espetáculo da "Terça Insana" Imagem: Divulgação

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em São Paulo

19/01/2016 06h00

Cutucadas com diversão. É assim que neste 2016 a atriz Grace Gianoukas celebra os 15 anos do projeto teatral "Terça Insana", que desde 2001 já foi visto por mais de 2 milhões de pessoas, sendo palco para 700 personagens feitos por 380 artistas diferentes, lançando sucessos como Luís Miranda, Marco Luque, Graziella Moretto, Marcelo Médici e Marcelo Mansfield, entre outros.

E tudo começou com a ideia de oferecer um palco no qual humoristas pudessem experimentar seus textos e personagens semanalmente, diante de um público ávido por riso casado com inteligência.

Nesta terça (19), estreia no Teatro Folha, em São Paulo, a nova temporada de "Terça Insana - Grace Gianoukas Recebe". No novo formato, a idealizadora do espetáculo é uma aeromoça que acomoda o público na plateia-aeronave. Enquanto o avião não ganha os céus, ela faz um talk show cheio de provocações. Afinal, é marca do "Terça Insana" expor com ironia os problemas do Brasil, provocando riso e reflexão. No novo texto, há espaço até para falar do rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG).

"Fazemos uma autoanálise da nossa sociedade e filosofamos sobre nós com bom humor", explica Grace, com sua inconfundível e charmosa voz rouca. Ela diz que a nova montagem é um projeto mais "cutucativo", porque "tira sarro de nós, brasileiros, que ainda acreditamos em Papai Noel ou que mudando partido vai mudar alguma coisa", alfineta.

Besteiras e absurdos

A atriz usa o humor para abordar temas delicados e mostrar ao público outras formas de se pensar, para que o espectador "não saia por aí repetindo o que todo mundo fala". Para ter a cabeça arejada, Grace lê de tudo: "mesmo coisas com pontos de vista diferentes dos meus", enfatiza.

Quando se vê diante de um problema, a humorista prefere transformá-lo em texto. Assim, desenvolve suas esquetes tanto sozinha, na correria do cotidiano, quanto em conjunto com seus colegas: "A galera vai dizendo besteiras e aquele absurdo vai tomando forma".

Grace avisa que seu humor é fruto de pesquisa séria também. "Todos nós lemos 'O Povo Brasileiro', do Darcy Ribeiro", diz, citando o grande antropólogo nacional. O lema é provocar a diversão, mesmo transitando por temas áridos, como a economia, atual dor de cabeça nacional. "É um tema que está bombando, por isso, damos dicas para todo mundo economizar", adianta Grace.

Metáfora do Brasil

"O avião que não decola é uma metáfora para o Brasil", entrega a atriz. Na aeronave estacionada aparece até o mosquito Aedes Aegypti. "Ele é um exemplo nesta crise, chegou pequenininho e hoje é bem-sucedido e está com três produtos no mercado e planos de expansão", diz, gargalhando.

Há lugar no palco ainda para a atriz Rita Murai, como uma fumante compulsória que não aguenta ficar trancafiada no avião, e para o ator Darwin Demarch na pele da assistente da aeromoça — sua empregada doméstica adaptada ao novo cargo —, fazendo referência ao filme "Que Horas Ela Volta?", sucesso do cinema nacional dirigido por Anna Muylaert e protagonizado por Regina Casé.

"Falamos de corrupção também. Afinal, cada povo tem o governo que merece. Pergunto ao público: quem é que passa no sinal vermelho ou já trocou o preço das coisas no supermercado? Não é por acaso que depois tem político com conta no exterior", provoca Grace. A peça ainda guarda lugar para entrevistados da vida real: artistas interessantes que surgem para falar de suas trajetórias. "Na estreia teremos o Alfedo Sternheim, grande cineasta da Boca do Lixo. Ele fez cinema nos anos 1970, quando o Brasil estava f... Vamos investigar isso com muito bom humor", adianta a atriz, que também assina a direção do espetáculo.

Peça nos bairros e novela na Globo

Além da temporada no Teatro Folha, em 16 de janeiro Grace estreou no Teatro Jabaquara, na zona sul paulistana, o projeto "Pílulas Insana", que levará esquetes a teatros mais distantes do centro paulistano. "É uma espécie de Terça Insana Delivery nos bairros", define.

Grace ainda se prepara para voltar à televisão. Após fazer "Chiquititas" no SBT, ela foi convidada para a próxima novela das 19h da Globo, "Haja Coração", que estreia em maio. Será a rica Teodora Abdala, mãe da personagem Fedora, interpretada por Tatá Werneck, na refilmagem de "Sassaricando".

"Fiquei muito honrada com o convite. Começamos a gravar agora em fevereiro e minha vida vai virar uma loucura", diz, bem-humorada, lembrando que tem a ajuda preciosa do sócio Paulo Marcel para organizar tudo.

Grace encerra a conversa afirmando que o brasileiro precisa sair do pensamento atual de demonizar uns aos outros. "No Facebook, todo mundo é a favor ou contra. Não há tolerância para o diálogo e a diversidade. Além disso temos uma enorme capacidade de ser João sem braço e tirar o c... da reta", diz Grace, que já criou mais de 60 personagens. "A gente cutuca e diverte", resume.

Serviço

"Terça Insana - Grace Gianoukas Recebe"
Quando:
 terças-feiras, 21h; até 23 de fevereiro
Onde: Teatro Folha - shopping Pátio Higienópolis - av. Higienópolis, 618, São Paulo
Informações: 0/xx/11/3823-2323
Quanto: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia-entrada)
Classificação etária: Não recomendado para menores de 14 anos

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Entretenimento

Topo