Entretenimento

Zé Celso retrata "bancada BBB" em peça e diz que há ditadura no Congresso

Miguel Arcanjo Prado

Colaboração para o UOL, em São Paulo

18/12/2015 18h09

Aos 78 anos, o diretor de teatro José Celso Martinez Corrêa, o Zé Celso, não quer saber de descanso neste fim de ano em seu Teat(r)o Oficina. Ele decidiu manter a peça "Mistérios Gozósos" em cartaz, ininterruptamente, até 25 de janeiro, com direito a sessões no Natal e no Réveillon. A montagem, já apresentada em 1994, foi recriada pelo diretor e seu elenco a partir da obra de Oswald de Andrade (1890-1954).

O espetáculo tem dramaturgia e direção assinadas por Zé, que faz duras críticas ao atual cenário político brasileiro, citando em cena, inclusive, a "bancada BBB, da bíblia, bala e boi". O musical ainda traz canções compostas por ele e por José Miguel Wisnik, com direção musical de Felipe Botelho. Entre elas, "Flores Horizontais", consagrada na voz de Elza Soares e responsável por um dos momentos mais sublimes da encenação, repleta de belas imagens e atuação intensa do elenco no espaço projetado por Lina Bo Bardi e Edson Elito, recentemente colocado pelo jornal inglês "The Guardian" no topo da lista dos dez mais belos teatros do mundo.

Em entrevista ao UOL, Zé Celso fala sobre a obra, faz um balanço do ano, projeta 2016 e revela como enxerga o conturbado momento que vive o Brasil.

UOL - Como a peça "Mistérios Gozósos" dialoga com o Brasil atual?

Zé Celso - Ela não dialoga, ela nutre nossos corpos cansados de explicar o mar, que batizamos de A Mar. Mas esse 'nós' não somos 'nós' do Oficina Uzyna Uzona, somos todos os habitantes dos versos de Oswald: "Há um grande cansaço de explicar o mar", que termina na Mar de Amar.

Qual sua percepção do atual momento sociopolítico, com a tentativa de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e a carta pública do vice-presidente Michel Temer? Você teme um retrocesso democrático?

O retrocesso já esta aí, desde o dia 26 de outubro [de 2014], quando a direita passou raspando, mas perdeu a eleição. Há uma ditadura no Congresso, que já nascia da onda de ressentimento, ódio, revanchismo de não saber perder. Temos é que nos livrar desta ditadura que continua do período civil militar de 1964 até agora.

Você coloca a chamada "bancada BBB", da bíblia, bala e boi, em "Mistérios Gozósos". Por quê?

Porque parece uma peça gozada de [Bertolt] Brecht, essa união de pastores gangsters que privatizaram o Congresso para exercer uma ditadura que esculhambou com a economia e a política do Brasil. E, como o nazismo, vai acabar mal, devia desde já ser impichada.

Por que resolveu manter "Mistérios Gozósos" em cartaz no Natal e no Ano Novo?

Porque estamos com esta peça que é um "Auto de Natal do Catolicismo Antropofágico do Brasil do Século 21". Ela já foi feita aqui no Natal de 1994. No Réveillon vai ser maravilhoso. Quando der zero hora, estaremos com as pessoas que vierem para festa, cercado de 20 minutos dos fogos de toda SamPã, por todos os lados. Este ano é atípico: sentimos que, desde o público que veio estar conosco em "Pra Dar um Fim no Juízo de Deus", de Artaud e, depois, com "O Banquete", de Platão, tivemos o Oficina sempre lotado. O povo que está vindo ao Teat(r)o Oficina neste ano de 2015 e a todos os Teatros de Rua de SamPã sente que Teat(r)o  junta pessoas que buscam uma transmutação antropofágica. O teatro desde Dionísios é uma arte antropófaga que junta, mistura, come e dá de "cumê" tudo igual à cidade de SamPã, e não São Paulo. Nestas datas, e mais a do aniversário desta cidade, dia 25 de janeiro de 2016, estaremos festejando.

Quais são seus planos para o Oficina em 2016?

Estar respirando, descascando os pepinos de saber como vamos criar na dureza geral, em todos os sentidos, os Poemas Teatais na Terra Sagrada do Teat(r)o Oficina. Cuidar desta Obra d’Arte Arquitetônica Urbana e dar continuidade ao que está sendo gerado no Mangue Sertão, dos Mistérios Gozósos.

O que você deseja para o Brasil em 2016?

Desejo muita libido para florescer a vida de todos os direitos e desejos trans humanos, humanos de nós todos, mamíferos, bactérias, minerais, florestas, de toda essa humana demasiadamente humana, Terra.

Serviço

"Mistérios Gozósos"
Quando: Sexta e sábado, 21h, domingo, 19h. Sessões extras nos dias 23/12, às 14h30; 25/12, Natal, às 21h; 31/12, Réveillon, às 21h. Até 31/12/2015. Entre 2 e 25 de janeiro, sábado, 21h, domingo, 19h, com sessão extra nos dias 11/1, segunda, 21h, e 25/1, segunda, 19h. Até 25/01/2016
Onde: Teat(r)o Oficina (r. Jaceguai, 520, Bixiga, São Paulo)
Quanto: R$ 40 (sexta) e R$ 50 (sábado, domingo e sessões especiais)
Informações: 11 3106-2818
Classificação etária: 16 anos
 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Entretenimento

Topo