Livros e HQs

YouTubers são formadores de opinião de jovens, mas que valores eles passam?

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

19/10/2015 11h43

Você pode nunca ter ouvido o nome deles, mas não vai fugir dessas celebridades por muito tempo. Os YouTubers (famosos por criar vídeos para a plataforma do Google) são a nova "turma de amigos" de crianças e adolescentes. E trilharam um caminho bem comum hoje em dia: saíram da internet para as livrarias, para a TV aberta e até para os cinemas. Kéfera Buchmann, 22, Christian Figueiredo, 21, Bruna Vieira, 22, e Isabela Freitas, 24, são alguns desses ídolos com milhões de seguidores. Sim, milhões.

Em seus vídeos, eles falam basicamente sobre comportamento. De jovem para jovem. Por trás das câmeras e da tela do computador, abordam bullying, desilusões amorosas e a superação com a ajuda da internet. Tudo com uma pitada de humor. Um cardápio perfeito para atrair quem está em busca de informação, mas prefere manter distância dos adultos e de quem não passa a credibilidade necessária sobre assuntos tão característicos de uma geração. São eles os novos formadores de opinião. Mas quais são os valores que eles estão passando para seus seguidores?

"Imagina se os professores conseguissem a mesma atenção que eu tenho de vocês?", brinca a curitibana Kéfera com os 700 leitores presentes no lançamento de seu livro, "Muito Mais Que 5inco Minutos", em São Paulo, evento que teve seus ingressos esgotados em apenas 12 minutos. O best-seller recém chegado às livrarias já ocupa a segunda posição do ranking de mais vendidos da Publishnews, informativo do mercado editorial brasileiro. Não por acaso, a editora já tem o espelho do segundo livro da autora e planos para um terceiro volume.

Em frente à câmera, Kéfera fala basicamente sobre seu cotidiano. Gordinha na infância, sofreu bullying e rejeição na escola, temas que aborda no livro. A autoaceitação é a principal mensagem que Kéfera pretende passar para os jovens. "Eu não faço o perfil de menininha da Disney. Sou mais alta do que o normal e tenho quadril e ombros largos. Não sou uma boneca perfeita. Se você está insatisfeito, mude por você", ensina ela, em conversa com o UOL.

Por outro lado, já foi acusada de ser preconceituosa pelas opiniões que emite. "Eu brinco muito e acabo mal interpretada por um público que não me segue e vê algum conteúdo aleatório", justifica. "Mas solto pum e falo palavrão para mostrar que sou real, espontânea", ela diz, sabendo que são as características que mais cativam seu público. Hoje, evita criar vídeos com temas muito polêmicos, como legalização das drogas. "Para não acabar em briga e confusão". 

Fernando Cepeda/AgNews
Webstar do ano, YouTuber Christian Figueiredo leva bando de meleca verde Imagem: Fernando Cepeda/AgNews

A mineira Bruna Vieira é o oposto de Kéfera. Com sete livros lançados em apenas três anos, ela é dona do blog "Depois dos Quinze" e se define como "tranquila, caseira e família". No blog, posta textos autorais sobre relacionamentos e comportamento adolescente. No YouTube, mostra um pouco da sua vida em São Paulo e até lançou um reality sobre a casa que está construindo no interior para abrigar toda a família mineira. Bruna também leva multidões em seus lançamentos e aparições públicas. "Tenho dois tipos de fãs: o que envelheceu comigo e os leitores mais novinhos. Fico feliz quando uma menininha de oito anos diz que se interessa por leitura por causa do meu livro", diz Bruna.

A blogueira deixa clara sua preocupação com as referências que passa para quem a segue. Procura sugerir músicas e incluir citações de outros autores, tanto nos livros quanto nos posts. "A listinha instiga o público a buscar novas referências", justifica. "O primeiro livro que comprei com meu próprio dinheiro foi um da Martha Medeiros. Vi uma frase na internet e pensei: 'Nossa, eu poderia ter escrito isso'. Acho mais fácil introduzir os jovens à leitura com um assunto que eles se identificam do que com os grandes clássicos. Depois eles acabam se descobrindo e se interessando por outros conteúdos."

Escolhido "webstar do ano" pelo público da emissora de TV Nickelodeon, Christian Figueiredo confirma a influência sobre crianças e adolescentes. "Este é o primeiro prêmio que ganho. Estou muito feliz". Em seu canal "Eu Fico Loko", ele propõe desafios com tortadas na cara, grava com famosos e cria vídeos em que a principal abordagem é o humor. Durante o evento da Nickelodeon, ele levou um banho de meleca verde em homenagem ao prêmio e revelou ao UOL seus planos, após o sucesso dos dois livros baseados em seu canal de YouTube. "Vou gravar um filme do 'Eu Fico Loko'. Começaremos em maio." E qual leitura ele recomendaria além de seus próprios livros? "O meu livro preferido: 'O Menino no Espelho', de Fernando Sabino". 

 

Informação absorvida

Do outro lado do computador, ajudando a aumentar o número de visualizações dos vídeos, estão crianças e jovens que veem nessas produções exclusivas para internet um conteúdo mais atraente do que aquele que a TV proporciona.

Vinícius Pereira, 20, Gustavo Romão, 17, e Jéssica Ranieri, 17, acompanham Kéfera há quatro anos, época em que a Youtuber começou a divulgar suas produções. "É a tarde toda na internet", admite Gustavo. Os três destacam a motivação que os ídolos passam ao abrir para o público e contar suas próprias histórias de vida. Segundo Vinícius, seus pais também assistem e dão risada junto.

Ivana Fevereiro, mãe de duas crianças fãs de Kéfera e de Christian, diz que os filhos --Julia e Thales, de 12 e 11 anos, respectivamente-- começaram a assistir aos vídeos há cerca de um ano. "Percebo que eles dão mais valor a ouvir essas pessoas do a quem é muito mais velho. Eu e o pai deles também assistimos e, se vemos que tem muito palavrão ou conteúdo impróprio, pedimos para tirar", explica. Mas ela admite que não é possível controlar o tempo todo.

Em um balanço sobre os assuntos precoces para a idade --sexo, drogas, "nudes"--, Ivana vê a experiência como positiva. "Uma coisa que percebi é que, em geral, essas novas estrelas têm muita ligação com a família. Mostram os pais nos vídeos, fazem brincadeira entre eles. Minha filha está em uma fase mais independente e, depois dos Youtubers, acabou se aproximando mais de mim". Ivana também destaca o fato de os filhos se interessarem mais pela leitura a partir dos livros lançados pelos ídolos. "Estimulamos a leitura aqui em casa, então cedi e comprei tanto os livros do Christian quanto o da Kéfera, mesmo sem ter lido previamente".

Vanessa Vital, 15, viajou de Campinas até São Paulo para o lançamento do livro de Kéfera, acompanhada da mãe, a professora Vânia. Foi o quarto encontro da jovem com a curitibana. A menina inclusive já ensaia para criar seu próprio canal. "Acho que ela tem dom para alguma atividade pública, e a Kéfera a incentiva muito. Gosto da história de vida da Kéfera, ela é esforçada. Se Vanessa decidir virar uma Youtuber, vou apoiar", diz Vânia.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Da Redação
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Da Redação
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
UOL Jogos
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Página Cinco
UOL Jogos
Da Redação
do UOL
Página Cinco
UOL Entretenimento - Imagens
Página Cinco
EFE
Página Cinco
Blog do Barcinski
Página Cinco
UOL Jogos
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
do UOL
Da Redação
Página Cinco
AFP
do UOL
Página Cinco
Da Redação
EFE
Página Cinco
Da Redação
Blog do Barcinski
Página Cinco
Reuters
Da Redação
BBC
Página Cinco
AFP
Topo