Música

Sob lona de circo, 1ª Festa do Peão de Barretos encheu saco de dinheiro

Jotabê Medeiros

Do UOL, em São Paulo

19/08/2015 07h00

Em 1955, vinte jovens da região de Barretos, no interior de SP, se reuniram em um bar com a intenção de criar uma festa do peão. Eles gostavam da agitação dos rodeios que existiam então, mas achavam que eram muito desorganizados, ligados principalmente às exposições de gado e sem critérios competitivos. Para participar da sua confraria, fixaram principalmente três critérios: tinha de ser maior de 21 anos, solteiro e "independente financeiramente".

Hoje, 60 anos depois, estão vivos apenas seis daqueles fundadores: Antônio Renato Prata, Horácio Tavares de Azevedo, Hosny “Nenê” Daher, José Brandão Tupynambá, Orlando Araújo, Paulo Pereira e Rubens Bernardo de Oliveira. Todos octogenários, estiveram juntos recentemente em uma festa para comemorar os 60 anos da festa.

Aos 86 anos, o agrônomo Antônio Renato Prata, que foi o primeiro presidente da associação, ainda se espanta com o tamanho do evento que criou, hoje o maior do gênero na América Latina. “Na primeira festa, a gente tinha muito medo de não emplacar. Compramos a lona do circo mas tava todo mundo receoso de não dar o resultado que a gente esperava”, conta.

O prêmio para o primeiro colocado no rodeio era um arreio com baldrana e pelego, cabeçada e capa de lã – na época, a capa de lã era um item obrigatório nas lides com o gado.

Prata, criador de gado de elite na região de Presidente Prudente, lembra que um dos fundadores, Abdo El Karim Gehma, ficou encarregado da bilheteria. Os restantes estavam envolvidos em outros afazeres e não tinham contato com ele, então não sabiam se havia sido proveitosa ou não a arrecadação. “Foi quando ele apareceu com um saco de sal nas costas, cheio de dinheiro. A gente gritou: Viva! Vamos em frente então, vamos fazer o próximo!”.

"Nós éramos independentes em todos os sentidos. Começamos esta festa para ajudar as instituições e hoje estamos emocionados com o tamanho que ela ficou. Meu recado é que as novas gerações continuem independentes e inovadoras, é isto que fará a festa durar mais 60 anos com este sucesso", lembra Rubens Bernardo de Oliveira, outro remanescente daquele grupo histórico.

Diego Rodrigues/Divulgação
Os sobreviventes: Antônio Renato Prata, Horácio Tavares de Azevedo, Hosny "Nenê" Daher, José Brandão Tupynambá, Orlando Araújo, Paulo Pereira e Rubens Bernardo de Oliveira, integrantes da geração de fundadores do clube Os Independentes, que criou a Festa do Peão de Barretos Imagem: Diego Rodrigues/Divulgação

Eles criaram a montaria com o arreio cutiano, hoje uma categoria dos rodeios, e também trouxeram a música e os rituais, como a queima do alho. “No começo, era só a música catira na praça da Cidade, naquele tempo. A gente leva uns violeiros: Tião Carreiro e Pardinho, Tonico e Tinoco”, conta Prata.

Outro fato que recordam é que não fizeram, na primeira edição da Festa do Peão, a montaria de touro. Era então algo incomum e difícil para os peões brasileiros. Mas, em 1960, entraram na corrida e hoje em dia estão exportando peões para montar nas competições americanas.

O atual presidente de Os Independentes, Jerônimo Muzetti, é do ramo de locação de veículos. Criança, já viva na região do Parque do Peão e sonhava com a festa. Hoje, administra uma estrutura que, mesmo quando não tem rodeio, demanda uma centena de pessoas para cuidar. “Toma o ano todo de trabalho. Hoje meu almoço foi pão com salame, o tempo fica curto para cuidar de tudo.”

10 FATOS MEMORÁVEIS DOS 60 ANOS DE BARRETOS

  • 1955: O início de tudo

    Os 20 primeiros sócios do clube Os Independentes idealizam a festa do peão

  • 1972: Romaria de políticos

    O general Médici foi a Barretos conhecer o evento, ao lado de Paulo Maluf

  • 1984: Triste despedida

    A última festa na cidade de Barretos - a contragosto dos moradores locais

  • 1985: Parque do Peão

    Ocorre a primeira festa no novo espaço desenhado por Oscar Niemeyer

  • 1989: Fim das obras

    Inaugurado o estádio com capacidade para 55 mil espectadores

  • 1991: Sucesso em dobro

    Festival passa a ser realizado em dois finais de semana - 10 dias no total

  • 1993: No centro do mundo

    É realizado o 1º Barretos International Rodeo, com peões de EUA e Canadá

  • 1998: Entre amigos

    Show "Amigos", com Chitão e Xororó, Leandro e Leonardo e Zezé e Luciano

  • 2009: O Rei em Barretos

    Roberto Carlos foi a Barretos comemorar 50 anos de carreira e doa cachê

  • 2010: Do pop ao samba

    A cantora Mariah Carey e a escola de samba Unidos da Tijuca tocam na festa

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Chico Barney
Música
AFP
Reuters
Da Redação
Reuters
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
UOL Música - Imagens
EFE
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Blog do Barcinski
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
TV e Famosos
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
AFP
Adriana de Barros
Adriana de Barros
do UOL
Blog do Matias
do UOL
do UOL
AFP
do UOL
do UOL
do UOL
Adriana de Barros
do UOL
do UOL
Blog do Matias
Topo