Livros e HQs

Artista encarna o vilão de Star Wars para contar a relação com os filhos

Ramon Vitral

Do UOL, em São Paulo

06/07/2015 07h00

O artista norte-americano Jeffrey Brown já produziu uma história em quadrinhos sobre o relacionamento a distância que manteve durante um ano no fim da adolescência. Ele também publicou uma HQ contando sua tensão às vésperas de sua primeira experiência sexual e outra falando da relação com sua família, extremamente católica. No entanto algumas de suas obras mais pessoais - e comercialmente bem-sucedidas - são seus títulos protagonizados por personagens da série “Star Wars”. 

Publicados pela primeira vez em português, “Darth Vader e Filho” e “A Princesinha de Vader”, chegam às livrarias brasileiras em julho, pela editora Aleph. Para setembro está previsto o terceiro livro da série, “Academia Jedi”. Apesar do tom infantil, as obras também devem agradar a pais de primeira viagem e fãs de “Star Wars”. Protagonizados por Vader e versões crianças de seus filhos Luke e Leia, os livros mostram as dificuldades do Lorde Sith em conciliar suas tarefas como pai de gêmeos e braço direito do Imperador Palpatine. Segundo Brown, as histórias são inspiradas na relação com seus dois filhos, um garoto de 8 anos e outro de 2.

A carreira de Jeffrey Brown mudou de forma definitiva após o lançamento de “Darth Vader e Filho”, em 2013. Até então, era conhecido apenas no universo mais restrito de autores alternativos.  Seu álbum de estreia, “Clumsy”, foi lançado em 2002 e elogiado por quadrinistas consagrados, como Chris Ware e James Kochalka. Em seguida, intercalou publicações próprias com participações em coletâneas e almanaques anuais de quadrinhos. Mas foi principalmente com suas HQs da série "Star Wars", que virou sucesso de vendas e ganhou alguns dos principais prêmios da indústria norte-americana de quadrinhos.

“'Star Wars' faz parte da minha vida desde as minhas primeiras memórias. Minha primeira lembrança na vida é a de assistir a ‘Uma Nova Esperança’ no cinema e fazer o meu pai levantar para me levar ao banheiro. Eu tinha apenas dois anos, então essa memória pode ter sido criada pelas histórias que meus pais me contaram”, lembra o autor, em entrevista ao UOL. “Meus irmãos e eu ganhávamos bonequinhos de ‘Star Wars’ todo Natal, nós também colecionávamos alguns cards e líamos os livros. Nossa babá também era uma grande fã, lembro que ela nos levou pra assistir a ‘O Império Contra-Ataca’ no cinema.”

Não só as memórias de infância, mas também sua própria experiência como pai servem de inspiração às HQs. “Eu reproduzi muito das minhas inspirações como pai nos dois primeiros livros. Em ‘Darth Vader and Friends’ (Darth Vader e Amigos, em tradução livre, quarto livro de Brown para 'Star Wars') eu pude mostrar outras relações e explorar outras dinâmicas de ser pai, como a interação com os pais dos amigos dos filhos”, explica o quadrinista. 

O envolvimento de Brown com a franquia concebida por George Lucas teve origem em um projeto malsucedido com o Google. O artista foi convidado a criar uma ilustração protagonizada por Darth Vader e Luke Skywalker para a página do site de buscas, celebrando o dia dos pais. O Google optou pelo trabalho de outro autor, mas o quadrinista ficou com os originais e propôs para os detentores dos direitos autorais da saga a ideia de um livro explorando o mesmo conceito. 
 
"Tenho editores na Lucasfilm que trabalham em cada um dos livros e, no geral, eles têm deixado eu apresentar as minhas ideias e depois me dão algum retorno. De qualquer forma, eles são muito bons e esses retornos têm sido sempre úteis - sejam sugestões para quando empaco em alguma ideia ou coisas pequenas que eles notam e tornam os livros melhores. Eles não forçam a barra para que eu faça as coisas de uma determinada maneira ou impõem regras que devem ser seguida", revela.

Além de “Darth Vader e Filho” e “A Princesinha de Vader”, que renderam ao artista o Prêmio Eisner de Melhor Publicação de Humor em 2013 e 2014, Brown já lançou outros cinco livros com os personagens de “Star Wars”, com mais um previsto para agosto de 2015. Segundo os editores da Aleph, o lançamento de outros livros da série no Brasil ainda está sendo estudado.

Em um ano repleto de lançamentos e novidades relacionados ao universo de Luke Skywalker, a prioridade de Brown é a mesma de todos os fãs da série: a estreia de “Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força”, dirigido por J.J. Abrams, que chega aos cinemas brasileiros dia 17 de dezembro de 2015. “Estou muito empolgado - tenho de admitir que os trailers me deixaram arrepiado, apesar de eu ter preferido evitar qualquer 'spoiler' ou descobrir alguma coisa antes da hora. Estou ansioso para ver o filme como um fã, sem ter a preocupação de pensar como vou incorporar partes dele em um novo livro!”

 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Página Cinco
UOL Jogos
do UOL
AFP
BBC
BBC
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Da Redação
AFP
Página Cinco
do UOL
Página Cinco
Da Redação
do UOL
Página Cinco
Da Redação
Reuters
Página Cinco
Da Redação
do UOL
Página Cinco
EFE
Página Cinco
Da Redação
AFP
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
BBC
Página Cinco
UOL Jogos
UOL Jogos
Entretenimento
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Entretenimento
AFP
Da Redação
Página Cinco
EFE
do UOL
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
Página Cinco
Da Redação
Topo