PUBLICIDADE
Topo

Por que o escritor mais vendido do país está no Brasil mas não na Flip

Roberto Sadovski e Rodrigo Casarin

Do UOL, no Rio e em Paraty

01/07/2015 18h35

O autor de livros de ficção mais vendido no país hoje está no Brasil e não é para a Flip, evento nacional de maior prestígio no mundo das letras, que ocorre a partir desta quarta (1º) na cidade histórica de Paraty (RJ). Autor de "Cidades de Papel", atual número 1 na lista de mais vendidos da Publish News, John Green revela que até recebeu o convite, mas precisou declinar por motivos de força maior: o cinema.

"Eu já fui convidado antes para a Flip. Infelizmente, tenho de voltar para casa imediatamente para começar a promoção de 'Cidades de Papel' nos Estados Unidos", afirmou ao UOL o escritor, referindo-se à adaptação do livro para o cinema, que estreia na próxima semana no Brasil. Green é também autor do best-seller "A Culpa É das Estrelas", que também já ganhou versão cinematográfica no passado.

"Não consigo estender minha estadia [desta vez]. Mas quero muito voltar logo. Minha esposa já esteve aqui diversas vezes, sempre diz o quanto ela gosta daqui e agora eu a entendo. Acho incrível ter a oportunidade de voltar e celebrar livros", diz o escritor, que é casado com a curadora de arte Sarah Urist Green. "No Brasil hoje essa cultura [literária] é muito empolgante, existe muito crescimento. Sei que existem vários novos autores brasileiros surgindo agora, acompanhados por um interesse renovado do público. Isso é muito bacana de se ver. Tem muitos países que o mercado editorial parece difícil, diminuído até. Mas no Brasil eu detecto essa empolgação, muitos autores e editores novos, e eu quero estar perto para ver esse crescimento", afirma.

Procurado pela reportagem do UOL, o curador da Flip, Paulo Werneck, confirma o interesse do evento em John Green. Segundo ele, foram feitos dois convites - no ano passado e neste, mas ambos não vingaram por conta da agenda do autor, que, em 2014, chegou a ser incluído na lista das cem pessoas mais influentes do mundo da revista "Time".

"Ele foi convidado, mas sabemos que a agenda dele é difícil", conta Werneck. Se haverá uma terceira chance em uma próxima edição? "Obsessão não funciona. Ele será bem-vindo quando quiser vir e a editora sabe que as portas estarão sempre abertas, mas não iremos transformá-lo em um Santo Graal."

Com diversas mesas dedicadas à obra do escritor Mário de Andrade, a Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) ocorre até domingo (5) na cidade fluminense. Entre os autores internacionais convidados estão o cubano Leonardo Padura, a britânica Sophie Hannah, o queniano Ngugi wa Thiong'o e o quadrinista francês Riad Sattouf. Um dos nomes mais aguardados desta edição, o jornalista italiano Roberto Saviano, autor de reportagens sobre a máfia italiana e os cartéis internacionais de drogas, cancelou sua vinda alegando motivos de segurança.