PUBLICIDADE
Topo

Aos 22 anos, destaque no musical "Mudança de Hábito" nasceu no ano do filme

Luna D'Alama

Do UOL, em São Paulo

26/05/2015 06h30

Quando o filme “Mudança de Hábito”, protagonizado por Whoopi Goldberg e dirigido por Emile Ardolino, estreou nos Estados Unidos em maio de 1992, a atriz e cantora carioca Ana Luiza Ferreira –um dos destaques da versão brasileira do musical da Broadway baseado no longa– ainda nem era nascida. “Mas cresci vendo o filme na ‘Sessão da Tarde’, adorava as freiras cantando. E também assisti ao espetáculo no teatro em 2011, em Nova York. Só que nunca poderia imaginar que, quatro anos depois, eu participaria da produção brasileira”, conta Ana Luiza, que interpreta a Irmã Maria Roberta, melhor amiga da protagonista Deloris Van Cartier.

A atriz estudou teatro musical por dois anos na American Musical and Dramatic Academy (Amda), em Nova York, e essa é sua primeira peça profissional. Até então, a experiência dela se resumia a apresentações acadêmicas e na escola. Além de ser sua estreia nos palcos brasileiros, Ana Luiza, de 22 anos, é a “mascote” da turma. “[Por causa da pouca idade] Nos bastidores, o pessoal me chama de postulante”, diz. E, de fato, no musical ela vive uma candidata a noviça – um pouco rebelde.

Para o papel de destaque, de uma personagem que vai crescendo no espetáculo, deixando a vergonha de lado e soltando a voz ao longo das duas horas e meia de apresentação, Ana Luiza teve de superar alguns obstáculos até conquistar a equipe de produção e o público. Ainda na fase de audições, em março de 2014, quando a atriz passou no teste para integrar o coro e chegou à segunda etapa de seleção, ela havia se preparado para interpretar a Irmã Maria Patricia, uma freira mais cheinha. “Aí falaram que não era o meu perfil, mas eu não conhecia o material da Maria Roberta. Tive que aprender a música e a cena dela na hora, e acabei passando”, lembra a jovem, que canta desde os dez anos de idade e toca piano e violão.

Ana Luiza

  • Divulgação/Facebook

    Acho que todo o mundo que está nesse ramo faz por amor, não por obrigação dos pais. É muito empenho e dedicação

    Ana Luiza Ferreira, atriz do musical "Mudança de Hábito"

Mas as dificuldades enfrentadas por Ana Luiza não pararam por aí: para encarnar a postulante tímida e franzina, ela eliminou 10 kg de gordura e ganhou 7 kg de músculos em apenas quatro meses. “Fiz dieta com nutricionista e personal trainer. Atualmente, ainda vou à academia, danço, sapateio”, enumera a atriz, que largou a faculdade de propaganda e marketing no início do terceiro ano, no Rio, para se dedicar ao sonho de atuar em um grande musical em São Paulo.

“Acho que todo o mundo que está nesse ramo faz por amor, não por obrigação dos pais [os dela queriam que a filha fizesse outra faculdade, razão pela qual começou a estudar propaganda]. É muito empenho e dedicação”, destaca. Para Ana Luiza, a grande diferença entre os espetáculos da Broadway e os brasileiros é que a escola norte-americana é mais antiga e já atingiu um nível de perfeição. “Mas a gente tem um ziriguidum, um tempero típico. E, se a gente souber dosar isso, fará uma grande diferença, será uma carta na manga. A gente está crescendo, com várias peças em cartaz, logo chegamos lá”, avalia.

Segundo a atriz, o Brasil já começa a ter profissionais completos nessa área, que sabem cantar, dançar e atuar ao mesmo tempo. “Tive que ir para fora me profissionalizar, pela falta de cursos aqui na época [em 2010]. Nos Estados Unidos, as crianças começam desde cedo e, quando chegam à faculdade, já estão uns ‘monstros’. Tive que correr atrás do prejuízo”, revela. “Pessoas com talento a gente tem, precisa é de estrutura: apostar na base e construir teatros para comportar grandes produções”, cita ela, que não acompanhou o “boom” dos musicais no Brasil, por estar no exterior, mas que ouve histórias dos colegas de elenco (como Andrezza Massei, Daniela Cury, Cesar Mello, Fred Silveira, Thiago Machado e Josi Lopes) sobre montagens anteriores, entre elas “O Rei Leão”, “A Madrinha Embriagada”, “Mamma Mia” e “A Bela e a Fera”.

Do colégio de freis para o "convento"

Não é de hoje que Ana Luiza tem contato com a religião católica. A atriz estudou quase a vida inteira em um colégio de freis tradicional do Rio, com regras bastante rígidas, e cantava nas missas da escola. “Agora vou ao convento Rainha dos Anjos toda semana, sou frequentadora assídua”, brinca a atriz, em referência ao convento fictício de "Mudança de Hábito".

Ana Luiza2

  • Divulgação/Instagram

    Tive que ir para fora me profissionalizar, pela falta de cursos aqui na época [em 2010]. Nos Estados Unidos, as crianças começam desde cedo e, quando chegam à faculdade, já estão uns 'monstros'. Tive que correr atrás do prejuízo

    Ana Luiza Ferreira, atriz do musical "Mudança de Hábito"

A intérprete da Irmã Maria Roberta, que é fã de Beyoncé, do filme “Meninas Malvadas” e do musical “Wicked” –e que gostaria de ter estudado em Hogwarts, o colégio de Harry Potter –, diz que, no início, achava que era muito diferente de sua personagem, uma pessoa bem introspectiva. “Mas, nos ensaios e com ajuda da direção, fui trabalhando as nossas semelhanças. Eu já fui muito tímida, como ela, subia no palco para cantar aos dez anos e saía chorando”, recorda.

Maria Roberta começa assim também, e vai se transformando ao longo do espetáculo. “Da menina que mal abre a boca, que tem medo de quase tudo, de ser julgada e até de respirar, ela passa à pessoa que enfrenta a madre superiora. Isso é traduzido na voz e na postura dela, para dar veracidade à personagem”, explica. “Durante a peça, degrau por degrau, ela vai conquistando sua liberdade e se desprendendo de si mesma, para se mostrar ao mundo”, afirma Ana Luiza, que acredita que, assim como a Irmã Maria Roberta, vive uma fase de alegrias e descobertas.

Serviço:
Musical "Mudança de Hábito"

Quando: Quintas e sextas, às 21h, sábados, às 17h e 21h, e domingos, às 16h e 20h
Onde: Teatro Renault (Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411 – Bela Vista, São Paulo)
Quanto: De R$ 25 (meia) a R$ 260 (inteira)

Quintas, às 21h
Plateia Premium: R$ 240 (inteira) e R$ 120 (meia)
Camarote: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia)
Visão Parcial Balcão B: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Camarote / ZZ: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia)
Plateia A: R$ 200 (inteira) e R$ 100 (meia)
Plateia B: R$ 170 (inteira) e R$ 85 (meia)
Balcão A: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia)
Balcão B: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)

Sextas às 21h / Sábados às 17h e 21h / Domingos às 16h e 20h
Setor Premium: R$ 260 (inteira) e R$ 130 (meia)
Camarote: 220 (inteira) e R$ 110 (meia)
Visão Parcial Balcão B: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Camarote / ZZ: R$ 220 (inteira) e R$ 110 (meia)
Plateia A:  R$ 220 (inteira) e R$ 110 (meia)
Plateia B:  R$ 190 (inteira) e R$ 95 (meia)
Balcão A: R$ 110 (inteira) e R$ 55 (meia)
Balcão B: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)

Pontos de venda:
- Bilheteria oficial (sem taxa): Diariamente, 12h às 20h (em dias de espetáculo, a bilheteria funciona até o início da apresentação)
- Internet: www.ticketsforfun.com.br
- Call-center: 4003 5588
Pontos de venda neste link
Capacidade: 1.530 lugares
Assentos: O teatro conta com 16 assentos para deficientes físicos e 11 para pessoas obesas
Classificação etária indicativa: Livre. Menores de 12 anos: permitida a entrada (acompanhados dos pais ou responsáveis legais)
Estacionamento: O teatro não possui estacionamento próprio