PUBLICIDADE
Topo

Flip 2015 terá autor de "Gomorra" e pode cancelar show por falta de verba

O escritor Roberto Saviano, autor do best-seller "Gomorra", que participará da Flip 2015 - EFE
O escritor Roberto Saviano, autor do best-seller "Gomorra", que participará da Flip 2015 Imagem: EFE

Rodrigo Casarin

Do UOL, em São Paulo

12/05/2015 10h53Atualizada em 29/06/2015 19h13

A Flip (Festa Literária Internacional de Paraty) anunciou nesta terça (12) a programação completa da edição 2015. Entre os destaques, está o jornalista italiano Roberto Saviano, autor do best-seller "Gomorra", romance que expôs o dia a dia da máfia da região de Nápoles, na Itália.

Ameaçado de morte após a publicação do livro em 2006, Saviano passou a viver escondido, sob proteção policial. A obra virou filme em 2008, dirigido por Matteo Garrone, que venceu o Grande Prêmio do Júri no Festival de Cannes.

Além de "Gomorra", Saviano publicou em 2013 outro romance, "Zero Zero Zero" sobre os cartéis sul-americanos de tráfico de drogas.

Saviano terá uma mesa só para si, no sábado, 4 de julho. O formato de encontro com um autor selecionado tem como objetivo aprofundar a conversa com o convidado e também será utilizado nas mesas com o historiador brasileiro Boris Fausto e o escritor irlandês Colm Tóibín.

Outro destaque da programação é o cartunista Riad Sattouf, ex-colaborador do semanário satírico "Charlie Hebdo", que acaba de lançar no Brasil o livro "O Árabe do Futuro", sobre sua infância e juventude na Síria e na Líbia. Ele participará da mesa "De balões e blasfêmias", no sábado, ao lado de Rafa Campos, ilustrador e cartunista da "Folha de S.Paulo".

A literatura policial terá espaço na mesa "De frente para o crime", no domingo, que reunirá o cubano Leonardo Padura e a inglesa Sophie Hannah, primeira autora a receber autorização para retomar um dos personagens mais famosos de Agatha Christie, Hercule Poirot, que protagoniza "Os Crimes do Monograma" (2014).

Crise

A recessão pela qual o país passa, com alta da inflação e baixo crescimento, também afetou a Flip, que vive um momento de incertezas em relação à captação de recursos de patrocínio para o evento. "Estamos vivendo um cenário econômico bastante dramático e isso reflete em tudo", disse Mauro Munhoz, diretor geral do evento.

A captação ainda não foi finalizada, mas a organização estima que ficará 15% abaixo dos valores de 2014, chegando a cerca de R$ 7,4 milhões. Dos R$ 8,2 milhões que a organização considera que seria o ideal, até o momento, já foram captados R$ 6,1 milhões, mas a ordem é economizar. Como nos anos anteriores, o evento não pagará cachê aos convidados.

Um dos aspectos da festa que pode ser afetado pela diminuição da verba é o tradicional show de abertura, que já contou em anos anteriores com Gilberto Gil, Gal Costa e Elza Soares. A apresentação pode ser cancelada este ano, caso não haja verba suficiente.

Os ingressos para a Tenda dos Autores, que no ano passado custavam R$ 46, foram reajustados e terão o valor de R$ 50 este ano. As vendas começam no dia 1º de junho.

Em relação à estrutura do evento, a Flip 2015 contará novamente com duas tendas com telões transmitindo as mesas, com entrada gratuita, que passam a fazer parte da festa permanentemente. A inovação foi instituída em 2014 e este ano prevê-se melhorias na acústica.

Homenagem a Mário de Andrade

A Flip 2015 será realizada em Paraty, de 1º a 5 de julho, e o autor homenageado deste ano será Mário de Andrade, cuja morte completou 70 anos em fevereiro.

A homenagem ao modernista contará com debates entre críticos, poetas, romancistas e ensaístas, sobre diversos aspectos de seu trabalho. Para falar da obra e da vida de Mário, foram convidados personalidades como o músico Hermínio Bello de Carvalho e o crítico José Ramos Tinhorão, que falam da faceta folclorista; a escritora argentina Beatriz Sarlo, a professora Eliane Robert Moraes e o filósofo Eduardo Jardim, que tentarão oferecer novos pontos de vista para compreender o autor. O músico e professor José Miguel Wisnik abordará o aspecto musical, e o jornalista Roberto Pompeu de Toledo e o professor Carlos Augusto Calil falarão da São Paulo boêmia e literária de Mário.

"A gente quis mostrar o Mário presente na cultura de hoje", afirmou o curador Paulo Werneck. "Interpelamos a obra dele, não fizemos apenas uma homenagem em uma efeméride".

Veja a programação completa:

Quarta-feira (1º/7)
19h: Sessão de abertura: As margens de Mário - com Beatriz Sarlo, Eliane Robert Moraes e Eduardo Jardim

Quinta (2)
10h: A cidade e o território - com Antonio Risério e Eucanaã Ferraz
12h: Falando alemão - com Geovani Martins, Deocleciano Moura Faião e Katjusch Hoe
15h: De micróbios e soldados - com Diego Vecchio e Sasa Stanisie
17h15: A poesia em 2015 - com Matilde Campilho e Mariano Marovatto
19h30: Encontro com Colm Tóibín
21h30: Do angu ao Kaos - com Jorge Mautner e Marcelino Freire

Sexta (3)
10h: Encontro com Boris Fausto
12h: São Paulo! Comoção de minha vida… - com Carlos Augusto Calil e Roberto Pompeu
de Toledo
15h: As ilusões da mente - com Eduardo Giannetti e Sidarta Ribeiro
17h15: Escrever ao sul - com Ngugi wa Thiong’o e Richard Flanagan
19h30: Amar, verbo transitivo - com Ana Luisa Escorel e Ayelet Waldman
21h30: Os imoraes - com Eliane Robert Moraes e Reinaldo Moraes

Sábado (4)
10h: Turistas aprendizes - com Beatriz Sarlo e Alexandra Lucas Coelho
12h: Encontro com David Hare
15h: De balões e blasfêmias - com Riad Sattouf e Rafa Campos
17h15: Os homens que calculavam - com Artur Ávila e Edward Frenkel
19h30: Encontro com Roberto Saviano
21h30: Desperdiçando verso - com Arnaldo Antunes e Karina Buhr

Domingo (5)
10h: Música, doce música - com José Ramos Tinhorão e Hermínio Bello de Carvalho
12h: De frente para o crime - com Leonardo Padura e Sophie Hannah
14h: Conferência de encerramento - com José Miguel Wisnik
16h: Livro de cabeceira