PUBLICIDADE
Topo

Livros para colorir viram febre entre adultos como ferramenta antiestresse

Rodrigo Casarin

Do UOL, em São Paulo

05/05/2015 06h00

Uma atividade muito praticada por crianças, principalmente em aulas de educação artística e nos momentos de lazer, tornou-se recentemente uma enorme febre entre os adultos: a pintura de desenhos. A antiga prática ganhou novos ares ao ser apresentada em formato de livros, que trazem florestas, mandalas e até cenas de sexo para colorir.

O sucesso é tamanho que as duas obras dessa linha, “Jardim Secreto” e “Floresta Encantada”, ambas de Johanna Basford, lideram a lista dos mais vendidos do Publishnews, publicação voltada para o mercado editorial. A primeira vendeu 122.654 exemplares em abril, enquanto a segunda vendeu 109.224. Para se ter uma ideia do quanto esses números representam, sem contar o terceiro colocado nas vendas --“Plihia”, de padre Marcelo Rossi, também um fenômeno, mas por conta da religião—, os outros 17 títulos que compõem a lista dos mais vendidos, juntos, somam 149.075 cópias, enquanto os dois títulos para pintar somam 231.878.

Mariana Ferraro

  • Com o livro, tenho um foco, um objetivo, que é terminar a pintura do desenho, colocar o máximo de detalhes. E, assim, treino minha capacidade de concentração.

    Mariana Ferraro, turismóloga

Na lista, há ainda outros dois títulos na mesma linha: “Jardim Encantado”, de Sophie Lebranc (15º lugar, com 6.774 exemplares vendidos) e “Fantasia Celta”, de Michel Solliec (19º lugar, com 6.170). “A procura por esses livros está enorme. As lojas fazem pilhas com essas obras de manhã, bem cedo, e, na hora do almoço, já está pela metade. No começo da tarde, arrumamos tudo novamente, e, no fim do dia, praticamente todos os exemplares estão vendidos”, conta Marcos Pedri, diretor comercial do Grupo Livrarias Curitiba, que possui 24 lojas espalhadas por Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Em toda a rede, 107.218 exemplares de livros para colorir direcionados para adultos já tinham sido vendidos até o dia 30 de abril.

A graça da pintura

Segundo Pedri, o fenômeno tomou essas proporções graças ao boca a boca, principalmente entre as mulheres adultas, que segundo ele é o principal público dessas obras. “Percebemos que o efeito do livro é muito positivo. As pessoas que compram e fazem as pinturas realmente dizem que funciona como um alívio contra o estresse. Outras emolduram os desenhos e penduram nas paredes”, conta o diretor.

Quem aderiu à moda tem opinião semelhante. “Esses livros incentivam as pessoas a terem um momento somente seu, desligando o pensamento das preocupações. Ajudam a distrair e fazem com que aquele que está pintando viaje em cada detalhe, o que tira o estresse do dia a dia. Para quem ama pintar, como eu, é um prato cheio. A graça é querer finalizar o desenho, dando vida, colorindo a imagem em preto e branco do seu jeito”, diz a assistente de produção Vanessa Miranda.

A turismóloga Mariana Ferraro também concorda. “Os livros de colorir são uma ótima opção de relaxamento e, principalmente, de concentração. Tenho uma vida agitada e muitos déficits de atenção, porque tento fazer mil coisas ao mesmo tempo. Com o livro, tenho um foco, um objetivo, que é terminar a pintura do desenho, colocar o máximo de detalhes. E, assim, treino minha capacidade de concentração.”

Marcos Pedri

  • A procura por esses livros está enorme. As lojas fazem pilhas com essas obras de manhã, bem cedo, e, na hora do almoço, já está pela metade. No começo da tarde, arrumamos tudo novamente, e, no fim do dia, praticamente todos os exemplares estão vendidos

    Marcos Pedri, diretor comercial do Grupo Livrarias Curitiba

Mariana conta usa esses livros para exercitar sua criatividade. Além disso, consegue notar variações de seu estado de espirito conforme as características das pinturas. “Comecei a pintar o meu primeiro desenho quando estava bem fisicamente e psicologicamente. Como ele era grande, demorei por volta de quatro dias para terminá-lo. Porém, nos últimos dois dias, fiquei doente, com alterações de humor, fraqueza e febre. Nos dias em que eu me encontrava bem, pintei com cores claras e de forma fraca, com detalhes. Nos dias em que estava mal, pintei com cores fortes, de uma maneira grosseira e sem muita atenção. Obviamente que só reparei nisso depois de estar bem novamente.”

Professora de artes, Eliana Vicente vê com bons olhos essa febre. “Meus alunos estão adorando pintar, muitos estão pintando com os pais. Acho que ajuda bastante na disciplina, treinam bem os contornos e as combinações de cores e várias técnicas”, diz.

Impacto na venda de lápis de cor

Tudo isso vem refletindo também no mercado de lápis para colorir. Tanto que agora os fabricantes têm até dificuldade para arcar com a demanda, enquanto as papelarias veem seus números crescerem num ritmo acelerado. “Durante o período de volta às aulas, que costuma ser a melhor época para o comércio de lápis de cor, nossas vendas cresceram 15%. Já em abril, o crescimento foi de 135%. E só não foi mais porque faltou produto a partir do dia 15”, diz Emerson Gamarra, gerente de compras da rede Kalunga. “Foi algo inesperado, os fabricantes não estavam preparados. Até agora estou com dificuldade de reposição, com fornecedores trabalhando em três turnos e sem previsão para entrega”, completa.

O mesmo se repete em outras lojas. “Está tendo uma procura bastante grande, principalmente da caixa com 48 cores. Antes, vendíamos praticamente apenas quando começavam as aulas, agora já tive que repor o meu estoque umas três vezes. Quanto mais diferente os lápis, como os fluorescentes ou metálicos, maior a procura”, relata Marco Aurélio Cichini, proprietário de uma papelaria de bairro na zona norte de São Paulo.

colorir - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Detalhe de ilustração de livro colorida pela assistente de produção Vanessa Miranda
Imagem: Arquivo pessoal

Ilustrações eróticas

Se o comum é ver as pessoas pintando e exibindo em redes sociais suas árvores, corujas, mandalas ou outras figuras ingênuas, também há uma opção para aqueles que buscam uma pimenta a mais na hora de usar seu lápis de cor.  Em “Suruba para Colorir”, 35 artistas criaram cenas de sexo grupal que são apresentadas em preto e branco, convidando, assim, os interessados a espalharem suas cores preferidas sobre as ilustrações. São imagens de orgias feitas por quadrinistas e ilustradores renomados, como Rafael Coutinho, João Montanaro, Laerte e Adão Iturrusgarai, que criam um álbum que, definitivamente, é para adultos –e somente eles– colorirem.

“Jardim Secreto”
Autor: Johanna Basford
Editora: Sextante
Páginas: 96
Preço: R$ 29,90

“Floresta Encantada”
Autor: Johanna Basford
Editora: Sextante
Páginas: 84
Preço: R$ 29,90

“Jardim Encantado”
Autor: Sophie Leblanc
Editora: Alaúde
Páginas: 129
Preço: R$ 29,90

"Fantasia Celta"
Autor: Michel Solliec
Editora: Alaúde
Páginas:128
Preço: 29,90