Livros e HQs

Vargas Llosa descarta novo "boom latino-americano" na literatura

Getty Images
O escritor Mario Vargas Llosa se prepara para receber oNobel de Liberatura em Estocolmo durante cerimônia de entrega oficial (10/12/2010) Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

29/04/2014 10h22

O escritor peruano Mario Vargas Llosa descatou a possibilidade de haver um novo "boom latino-americano" (movimento literário das décadas de 60 e 70 do qual participaram o próprio Vargas Llosa,  Cortázar, Carlos Fuentes e García Márquez) pois, ainda que constantemente apareçam bons escritores, esse não despertam a mesma surpresa que a geração da década de 1970.

Homenageado com o prêmio Nobel de Literatura em 2010, Vargas Llosa fez a reflexão na W Radio, em uma das poucas entrevistas que concederá a publicações colombianas durante sua estadia em Bogotá sobre a Feira do Livro de Bogotá, que começa nesta quarta-feira (30) e tem o Perú como pais homenageado.

O escritor disse que, a partir dos aos 1960, é despertada uma curiosidade sobre a América Latina, em parte originada pela revolução cubaba. "Passam a descobrir autores que estavam escrevendo há muito tempo uma literatura muito original e muito rica", disse.

De acordo com Vargas Llosa, há uma ocnstante renovação no México, Argentina e Brasil, entre outros países da América Latina, bem como na Espanha e em Portugal e, na ausência de uma linguagem comum coo foi o realismo mágico, abriram as portas para que surgisse uma literatura diversificada.

Vargas Llosa revelou que acabou de escrever uma peça baseada nas histórias do humanista italiano Giovanni Boccaccio e que há na Colômbia três projetos de adaptação para filmar seus livros "Tia Julia e o Escrevinhador", "A Festa do Bode " e "O Herói Discreto" .

"Estou muito feliz e grato à Colômbia (por estas iniciativas) Minha única preocupação é que saia uma boa obra para entreter o público colombiano", disse ele.

Quanto aos seus planos para o futuro, disse: "Eu nunca parei de escrever, morrerei escrevendo", disse ele, pois essa atividade com que se ganha a vida é " um prazer supremo". "Isso só me faz gostar de ler, tanto quanto a escrita", acrescentou.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
DW
Página Cinco
Da Redação
Da Redação
Página Cinco
Roberto Sadovski
Página Cinco
EFE
Página Cinco
EFE
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
Da Redação
BBC
BBC
Página Cinco
UOL Música
Página Cinco
do UOL
UOL Jogos
EFE
Página Cinco
AFP
Página Cinco
do UOL
UOL Jogos
EFE
Página Cinco
Página Cinco
Página Cinco
AFP
Página Cinco
EFE
AFP
BBC
Página Cinco
UOL Jogos
UOL Jogos
Página Cinco
AFP
Página Cinco
Topo