Topo

Entretenimento

Dançarino do Bolshoi é considerado culpado por ataque com ácido

Alexander Nemenov/AFP
Pavel Dmitrichenko é escoltado em um tribunal em Moscou Imagem: Alexander Nemenov/AFP

Do UOL, em São Paulo

03/12/2013 08h14

O dançarino do Bolshoi Pavel Dmitrichenko e dois amigos, Yuri Zarutski e Andrei Lipatov, foram considerados culpados pelo ataque com ácido que quase deixou cego o diretor artístico da companhia de dança russa, em janeiro deste ano.

Previamente, o dançarino havia afirmado ter organizado o ataque, mas não teve a intenção de causar danos a Sergei Filin. O diretor teve diversas queimaduras no rosto. A corte russa, no entanto, decidiu que eles tiveram e intenção de machucar o diretor.

A acusação pediu uma pena de dez anos de prisão para Dmitrichenko como autor intelectual do ataque, de nove anos para Zarutski como autor da agressão e de seis anos para Lipatov como cúmplice.

Segundo as fontes, a leitura da sentença pode durar várias horas, mas espera-se que hoje mesmo a condenação seja conhecida.

Após passar por 23 operações para recuperar a visão, Filin voltou ao seu trabalho e passa por um processo de reabilitação. O diretor ainda deverá realizar novas cirurgias.

Segundo reportagens do "The New York TImes", o crime pode ter uma jovem bailarina como pivô, Anzhelina Vorontsova, de 21 anos.

Namorado de Anzhelina, Dmitrichenko acusava o diretor do Bolshoi de boicotar a carreira da bailarina, tendo negado a ela o papel principal em uma montagem de "O Lago dos Cisnes".

A bailarina e o diretor trabalhavam juntos em uma academia de prestígio em Moscou. Filin se sentiu traído quando Anzhelina deixou a companhia comandada por ele e ingressou no Bolshoi. Mais tarde, ambos se encontrariam novamente no Bolshoi, mas a relação dos dois jamais seria a mesma.

Quase um ano após o ataque, Filin teria recuperado 80% da visão do olho esquerdo mas perdeu quase totalmente a do direito.

*Com informações da EFE

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento