Entretenimento

Filha de Adoniran critica artistas e se diz contra censurar biografias

Reprodução
Maria Helena RR de Sousa, filha de Adoniran Barbosa Imagem: Reprodução

Do UOL, de São Paulo

14/10/2013 18h12

Filha do compositor Adoniran Barbosa, a jornalista Maria Helena Rubinato Rodrigues de Sousa se manifestou a favor dos escritores na polêmica envolvendo artistas brasileiros que querem impedir a publicação de biografias não autorizadas no país. A articulação é liderada pelo grupo Procure Saber, que reúne nomes como Roberto Carlos, Caetano Veloso, Chico Buarque, Djavan e Milton Nascimento.

Para a herdeira do mais famoso sambista de São Paulo, cuja a vida já foi descrita em oito livros, com os quais colaborou, qualquer censura à rica história musical dos biografados é um cerceamento à liberdade de expressão.“Temos leis. E boas leis. Basta ficar atento e reagir se houver abusos e calúnias”, afirmou em seu perfil do Facebook. “Eu estou com vergonha, por exemplo, pelo Chico Buarque. Decepção e vergonha. Ele quer biografias previamente censuradas! Pode dar qualquer outro nome, mas é isso que serão.”

Maria Helena afirmou concordar com o músico Alceu Valença, que na semana passada afirmou ser “imoral” a proposta de pagamento de royalties para os “biografados ou herdeiros”, dizendo que a questão “definitivamente não é financeira”.

“Arrisco em dizer que cerceá-los seria uma equivocada tentativa de tapar, calar, esconder e camuflar a história no nosso tempo e espaço. Imaginem a necessidade de uma nova Comissão da Verdade daqui a uns 20 anos...”, afirmou o músico também na rede social.

Embora a Constituição preveja a liberdade de expressão, o Código Civil brasileiro possui artigos que vedam a comercialização de biografias não autorizadas. Atualmente, tramita no Congresso um projeto para mudar o Código, do deputado Newton Lima (PT-SP) e, no STF (Superior Tribunal Federal), uma Ação Direta de Inconstitucionalidade referente aos artigos do Código Civil que interferem na questão. O Procure Saber é contra as mudanças.

Segundo o grupo, o posicionamento não tem a ver com censura prévia, mas com a preservação de direitos. “A Procure Saber pretende apresentar proposta de alteração do Código Civil, de forma a acomodar interesses comerciais de todas as partes — escritores, editoras, biografados e seus herdeiros —, cuidando de preservar a intimidade e a vida privada do biografado, que não podem ser subjugados para proteger outros direitos que, de fato, não estão sendo prejudicados ou violados”, publicou a empresária Paula Lavigne, que gerencia a carreira de Caetano Veloso.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo