PUBLICIDADE
Topo

Minhas personagens não amam vampiro, mas têm cultura pop, diz Paula Pimenta

Escritora Paula Pimenta - Divulgação
Escritora Paula Pimenta Imagem: Divulgação

Fabíola Ortiz

Do UOL, no Rio de Janeiro

06/09/2013 19h31

"Escrever para mim era um hobby que acabou virando profissão", disse a mineira Paula Pimenta, 38, que há cinco anos começou a estourar na literatura teen. Pela segunda vez na Bienal do Livro no Rio, a escritora lança agora "O Livro das Princesas", escrito em parceria com Meg Cabot, Lauren Kate e Patrícia Barboza.

Paula encontrou-se nesta sexta-feira (6) com suas fãs, muitas das quais despertaram o gosto pela leitura ao ler "Minha Vida Fora de Série" e "Fazendo Meu Filme", este último que já ganhou quatro sequências.

Aos jornalistas Paula contou que não imaginava o sucesso que faria. "Quando lancei meu primeiro livro, estavam só as minhas amigas. Aí quando recebi o primeiro e-mail de uma menina, há cinco anos, até chorei. Mas depois começou a ser uma realidade diária. Eu chegava no lançamento e as meninas gritavam. Nunca na vida imaginava que isso aconteceria com um escritor".

A sua fórmula é simples: contar histórias "pé no chão", reais, que poderiam acontecer com qualquer adolescente. "As minhas personagens não têm superpoderes e não amam vampiro, mas têm cultura pop. A personagem se apaixona pelo melhor amigo que é uma coisa real, acontece". É isso que faz gerar uma identificação das leitoras com suas histórias, ela acredita. "Os pais até falam que eu consegui tirar a filha da internet. Eu pus a internet no livro".

Ao ser questionada por que curte escrever para essa faixa etária, Paula é taxativa: "A minha alma é muito adolescente". Para ela, a adolescência é a mesma em qualquer geração. "O que muda é a moda, mas os sentimentos são os mesmos".

Uma de suas autoras prediletas é Meg Cabot. Para ela, foi a autora de "O Diário da Princesa" quem a inspirou a escrever. "São livros que fazem sonhar e despertam os sentimentos. Eu queria muito fazer isso".

O próximo projeto é levar para as telas de cinema o livro "Fazendo Meu Filme". Ainda em fase de pré-produção, a ideia é rodar no ano que vem e estrear em 2015. Paula garantiu que quer participar de todo o processo de roteiro e produção do filme. Ela conta que recusou convites de grandes produtoras como da MTV para optar por uma menor para ter certeza que será fiel ao seu livro. "Todo leitor fica com raiva quando ama o livro e o filme distorce. Tenho noção que um livro de 400 páginas nunca vai caber num filme de duas horas. Pelo menos, que seja fiel".