Entretenimento

Sucesso entre adolescentes, escritora Paula Pimenta diz que se assustou com histeria de leitoras

Divulgação
Escritora Paula Pimenta já vendeu 250 mil livros desde 2008 Imagem: Divulgação

Mariane Zendron

Do UOL, em São Paulo

27/06/2013 05h00

Junho de 2013. Livraria em Belo Horizonte. Quatro horas da tarde. Centenas de adolescentes gritam e sacam seus celulares para uma foto quando avistam seu ídolo, que não é atriz, cantora e nunca participou de um reality show. Mas ela é pop --bem pop. Falando sobre filmes, séries, namoros, amizades, intercâmbio, festas e redes sociais, a escritora Paula Pimenta já vendeu mais de 250 mil livros e agora lança "Minha Vida Fora de Série 2", que faz parte da sua segunda série de sucesso (a primeira foi "Fazendo Meu Filme").

Séries nos livros de Paula Pimenta

"Seinfield" (1990–1998)
"Sex And The City" (1998–2004)
"Gossip Girl" (2007–2012)
"Being Erica" (2009–)
"Greek" (2007–)

Em entrevista ao UOL, Paula Pimenta, de 38 anos, disse que não ganhou status de ídolo teen da noite para o dia. Com oito livros lançados, a escritora começou a ouvir os gritinhos das fãs só no final do ano passado, quando encerrou a série de quatro volumes "Fazendo Meu Filme". "Quando elas começaram a gritar, fiquei assustada. Eu achava que isso só acontecia com artista, mas é muito legal. Elas amam tanto os personagens que acabam canalizando em mim".

O início da carreira
Natural de Belo Horizonte, Paula cria histórias desde pequena e, por isso, ingressou na faculdade de jornalismo, mas logo trombou com a necessidade de ser imparcial nos textos. "Meus professores diziam que o que eu escrevia não era jornalismo porque eu gostava de inventar, florear, opinar. Comecei a ficar com raiva de escrever". Foi assim que ela transferiu o curso para publicidade, se formou e começou a levar a escrita como hobby.

Até 2006, Paula tinha vários romances iniciados, mas nunca tinha conseguido dar um final a eles. Só conseguiu concluir seu primeiro livro em 2005, quando estava morando em Londres para estudar escrita criativa. O livro já era o primeiro volume de "Fazendo Meu Filme", que sempre foi de ficção, mas tinha muitos elementos da adolescência de Paula. "Assim como a Fani (a personagem principal), eu também era tímida e fui apaixonada pelo meu melhor amigo".

Filmes nos livros de Paula Pimenta

"Lisbela e o Prisioneiro" (2003)
"Simplesmente Amor" (2003)
"Crepúsculo" (2008–2012)
"A História Sem Fim" (1984)
"Curtindo a Vida Adoidado" (1986)

A mineira acreditava que estava escrevendo para outras mulheres que já haviam saído da adolescência e que gostariam de relembrar esses momentos de descobertas, mas após lançar o primeiro livro, em 2008, descobriu que a adolescência é igual em qualquer geração. "Os medos e as experiências são as mesmas. O que muda é que aquilo que vivi aos 16, as meninas estão vivendo aos 13". Por isso, o número de fãs adolescentes foi crescendo e muitas delas se intitulam "pimentinhas", em referência ao sobrenome da escritora. 

Referências pop
O sucesso de Paula, no entanto, vai além das aflições do primeiro amor. Seus livros são recheados de referências pop, como filmes, séries de TV e músicas. Paula se considera uma eterna adolescente e seus gostos são parecidos com os de suas personagens, que têm entre 14 e 18 anos. A personagem principal de "Fazendo Meu Filme", Fani, é fã de títulos como "Crepúsculo", "Um Lugar Chamado Nothing Hill" e "Antes do Pôr-do-Sol". Cada início de capítulo dos quatro volumes traz uma citação de um filme que se relaciona com a trama que vem a seguir.

O mesmo acontece com as séries em "Minha Vida Fora de Série" e as músicas em todos os livros. Leo, o protagonista de "Fazendo Meu Filme", gosta de gravar CDs para os amigos e, mais uma vez, Paula recheia os livros com citações musicais, que vão de McFly a Aretha Franklin, mas também tem Skank e Colbie Caillat.

Outra aposta que deu certo foi levar o mundo virtual para as páginas dos livros. A narrativa é constantemente interrompida por trocas de e-mails e mensagens de celular entre os personagens. "Muitos pais me perguntam como consegui tirar os adolescentes da internet. Respondo que levei a internet para os livros". As duas séries de Paula também têm sites próprios, nos quais é possível escutar as músicas preferidas dos personagens, além de assistir trechos dos filmes e séries citados por eles.

  • "Minha Vida Fora de Série 2"
    Autor: Paula Pimenta
    Editora: Gutenberg
    Páginas: 424

"Fazendo Meu Filme" no cinema
Essa relação com os leitores fora e dentro do mundo virtual fez Paula perceber o imenso desejo das jovens em ver suas histórias nas telas de cinema. Paula era contrária à ideia porque, segundo ela, é ciumenta demais para ver suas personagens ganharem rostos.

No entanto, a pressão das leitoras falou mais alto e Paula vendeu os direitos do primeiro livro a uma pequena produtora de Belo Horizonte. "Recebi propostas de grandes produtores, mas era um esquema 'assine aqui e a gente te chama para a estreia'. Minha maior preocupação é que o filme seja fiel à história", disse ela. O longa ainda está em pré-produção e ainda não há detalhes sobre direção, elenco ou data de estreia. 

Parceria com Meg Cabot
Entre os muitos escritores dos quais é fã, Paula Pimenta sempre teve um carinho especial por Meg Cabot, autora da série "Diário da Princesa". Agora, mais do que ter contato com a escritora, Paula lançará um livro com ela: "O Livro das Princesas". Também com a participação da brasileira Patricia Barboza e da norte-americana Lauren Kate, o livro traz uma releitura de clássicos contos de fada: "A Bela e a Fera", "Cinderela", Bela Adormecida" e "Rapunzel".

Paula ficará com "Cinderela", seu clássico preferido. "Eu fiz uma Cinderela pop, que gosta muito de música. Ela é brasileira, vai para a escola. Esses clássicos são muito trágicos e eu não quis que fosse assim. Na minha história, os pais da Cinderela se separam e a madrasta má é a nova mulher do pai da princesa".

  • Divulgação

    Adolescentes no lançamento de "Minha Vida Fora de Série 2", de Paula Pimenta, em Campinas

Jovens leitores, adultos leitores
Para a escritora, é preciso haver mais livros que retratem o mundo dos adolescentes. Ela não descarta a importância dos clássicos, mas acredita que obras como as dela fazem muitos jovens, que antes liam por obrigação, a criarem o hábito pela leitura. "Uma vez me perguntaram se crianças que leem Harry Potter viram adultos que leem Paulo Coelho. Isso para mim é irrelevante. Fico feliz quando vejo que as pessoas estão lendo. Os clássicos são muito importantes, mas não é isso que faz a pessoa ficar apaixonada por leitura. É preciso apresentar vários gêneros para que as pessoas façam escolhas mais profundas com o tempo".

Os leitores afoitos de Paula vão ter que economizar na voz porque a escritora prepara alguns lançamentos até 2014. "O Livro das Princesas" chegará às lojas em julho. Até o final do ano, será lançado o segundo volume de "Apaixonada por Palavras", uma coleção de crônicas da escritora e, no primeiro semestre do de 2014, Paula planeja o lançamento do terceiro volume de "Minha Vida Fora de Série".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo