Entretenimento

Em nota, Museu de Arte do Rio diz que peça furtada não era original

Divulgação/MAR
Abridor de lata da obra de Ivens Machado, exposta no Museu de Arte do Rio de Janeiro Imagem: Divulgação/MAR

Rodrigo Vianna

Do UOL, em Rio de Janeiro

27/04/2013 12h12

Em nota oficial, o Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR) informou neste sábado (27), que o abridor de latas furtado na quinta de uma obra do artista Ivens Machado não era o original do quadro, criado em 1973. Segundo o MAR, a informação foi confirmada pelo proprietário da obra. "A peça era um abridor de latas comum, que pode ser encontrado em lojas e já foi reposta", informou a assessoria do museu.

A obra sem título do artista Ivens Machado faz parte da exposição “O Abrigo e o Terreno”, localizada no térreo do museu. A nota diz ainda que o furto foi descoberto por museólogos da instituição que notaram a ausência da peça na tarde de quinta-feira. Por se tratar de furto, o caso foi registrado no mesmo dia na 4ª DP (Praça da República), onde foram entregues as imagens do circuito interno de segurança do MAR.

As atividades do museu continuam funcionando normalmente. 

Perícia
A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que agentes fizeram perícia durante toda a tarde de sexta-feira (26) no local e já analisaram as imagens que, de acordo com o museu, mostram o momento exato em que o abridor de latas é retirado do quadro e o autor. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF). Ainda não há informações sobre os suspeitos.

Ainda de acordo com a nota, o MAR diz que “entende que qualquer furto, seja qual for a motivação, deve ser tratado como tal. No entanto, o museu acredita que pode não ter havido dolo na ação, tampouco a intenção de roubar uma obra de arte. Afinal, o público da mostra é constantemente convidado a interagir com os trabalhos expostos”.

De acordo com a polícia, a pena para furto simples prevê prisão de um a quatro anos. Já o de furto qualificado pode render de dois a oito anos na cadeia.

Peça já havia sido substituída outras vezes
O objeto já tinha sido substituído outras vezes. O museu afirma que o abridor “foi prontamente reposto, sem qualquer dano artístico ou material ao trabalho”.

O MAR foi inaugurado no dia 1º de março e aberto ao público quatro dias depois. 

Leia na íntegra a nota oficial do MAR:

Na última quinta-feira foi furtada parte de uma obra sem título do artista Ivens Machado, localizada no térreo da instituição, como parte da exposição "O Abrigo e o Terreno". Na mesma tarde, a equipe de museólogos do MAR notou a ausência da peça, um abridor de latas que integrava o trabalho. Na sexta-feira a ocorrência foi registrada na 4ª DP, onde foram entregues as imagens do circuito interno do Museu.

O MAR entende que qualquer furto, seja qual for a motivação, deve ser tratado como tal. No entanto, o Museu acredita que pode não ter havido dolo na ação, tampouco a intenção de roubar uma obra de arte. Afinal, o público da mostra é constantemente convidado a interagir com os trabalhos expostos.

Segundo o proprietário da obra, o abridor em questão não era o original da peça criada em 1973. Por diversos motivos, como o processo natural de oxidação do material, o objeto já foi substituído outras vezes. No MAR, o abridor foi prontamente reposto, sem qualquer dano artístico ou material ao trabalho. 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Entretenimento

Topo