PUBLICIDADE
Topo

Renata Sorrah é premiada como melhor atriz no Prêmio Shell de Teatro do Rio

Renata Sorrah vence o prêmio de melhor atriz do Shell - Adna Barbosa/Fotorionews
Renata Sorrah vence o prêmio de melhor atriz do Shell Imagem: Adna Barbosa/Fotorionews

Rodrigo Vianna

Do UOL, em São Paulo

19/03/2013 21h37Atualizada em 20/03/2013 01h35

O 25º Prêmio Shell de Teatro do Rio de Janeiro reuniu grandes nomes do espetáculo na noite desta terça (19), no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico.

Renata Sorrah foi considerada a melhor atriz do teatro carioca em 2012. Muito emocionada, a atriz dedicou o prêmio a toda equipe do espetaculo "Esta Criança", que levou para casa ainda outras três conchas douradas: de direção, iluminação e cenário.

"Foi aqui nesse palco que eu vi pela primeira vez a Companhia Brasileira de Teatro fazendo 'Vida', e quando acabou esse espetáculo eu disse que que queria trabalhar com eles. E foi um sonho que se tornou realidade. Dedico esse prêmio a toda equipe e elenco desse projeto e dessa peça e à Rosita Thomaz Lopes", disse ela.

Emocionado ao receber o prêmio de direção, Marcio Abreu brincou com o fato de estar sempre viajando a trabalho e dedicou o prêmio em especial para a atriz Renata Sorrah. "Para mim é uma noite muito especial, porque apesar de ter nascido aqui eu sou praticamente um estrangeiro. Então receber esse prêmio na minha cidade é de uma grande emoção. O teatro dá muita coisa pra gente e uma delas é encontrar pessoas que transformam a sua vida. Eu quero usar essa tribuna para falar do meu amor por esses atores, que foi um grande encontro na minha vida. Em especial para essa mulher do teatro, que é Renata Sorrah", disse ele.

Nadja Naira, que levou o prêmio de melhor iluminação pela peça, mostrou-se surpresa. "Estou chocada. O teatro a gente não faz sozinho, a gente faz com vocês. Dedico então esse prêmio à minha companhia de teatro de Curitiba", disse ela.

Outros prêmios
O primeiro prêmio da noite foi de melhor música para Alexandre Elias, por "Gonzagão - A Lenda". Ao receber o troféu, Alexandre dedicou ao diretor João Falcão.

"Hoje ele (João Falcão) é um grande amigo, um dos maiores diretores e autores do mundo. Quando eu era pequeno, meus pais sempre me incentivaram na música. Uma vez eu ganhei uma sanfoninha e sempre me colocaram para ouvir Luiz Gonzaga. Apesar de já ter sido indicado outras vezes, dessa vez é especial", disse ele.

Teca Fichinski levou o prêmio de Melhor Figurino por "Valsa n 6". Ao receber o troféu, ela disse que sonhou com o figurino do espetáculo. "Isso aqui é um sonho. É um sonho mesmo porque eu sonhei com o figurino do espetáculo e depois fui correndo contar para o elenco, que abraçou a ideia. Sonhei com a Luiza Tirré (atriz) enrolada no vestido no Theatro Municipal. Eu divido esse prêmio com alguém que está aqui, mas não mora aqui. Pai, é nosso", disse ela, visivelmente emocionada.

Mauricio Arruda Mendonça e Paulo Moraes ganharam na categoria melhor autor, por "A Marca da Água". O ator Gustavo Gasparini foi considerado melhor ator por sua atuação em "As Mimosas da Praça Tiradentes". No palco, ele brincou imitando sua personagem, a vedete Vanilla Cherry.

"Eu como cavalo desse personagem estou super feliz por esse prêmio, mas ela (Vanilla) está triste, porque ela queria ter levado o prêmio de melhor atriz. Depilou até as axilas para esta noite", brincou ele, que completou: "eu completei 35 anos de carreira no ano passado e esse, sem dúvida, é o melhor presente".

Homenagem
O ator Walmor Chagas, que cometeu suicídio no início do ano, foi homenageado com imagens que passaram por diversas fases de sua carreira. A única filha do ator, Clara Becker, fruto do relacionamento com Cacilda Becker, fez um discurso rápido de agradecimento. “Agradeço aos jurados pela homenagem, pela bela noite. Dizer do orgulho de ser filha do Walmor, em sua linda história de talento, de amor, é uma emoção muito grande, ele certamente está em ‘Passárgada'". 

A atriz Drica Moraes também participa da cerimônia e disse que foi uma vitória ter sido indicada. Nívea Stelmann, também presente, disse que negocia seu primeiro contato com a "Playboy"

Veja os indicados e vencedores: 

Autor
Carla Faour por “Obsessão”
Julia Spadaccini “Quebra-Ossos”
Maurício Arruda Mendonça e Paulo Moraes por “A marca da água” (VENCEDOR)
Pedro Kosovski por “Cara de cavalo”

Direção
Felipe Hirsch por “O livro de itens do paciente Estevão”
Henrique Tavares por ”Obsessão”
Marcio Abreu por “Esta criança” (VENCEDOR) 
Moacir Chaves por “Negra felicidade”

Ator
Bruce Gomlevsky por “O homem travesseiro”
Gustavo Gasparani por “As mimosas da Praça Tiradentes” (VENCEDOR)
Leonardo Medeiros por “O livro de itens do paciente Estevão”
Tonico Pereira por “A volta ao lar”

Atriz
Drica Moraes por “A primeira vista”
Kelzy Ecard por “Breu”
Patricia Selonk por “A marca da água”
Renata Sorrah por “Esta criança” (VENCEDOR)
Simone Spoladore por “Depois da queda”

Cenário
Adriano Guimarães, Fernando Guimarães e Ismael Monticelli por “Nada”
Doris Rollemberg por “Querida Helena Sergueievna”
Fernando Marés por “Esta criança” (VENCEDOR)
Paulo de Moraes por “A marca da água”
Vandré Silveira por “Farnese de saudade”

Figurino
Flavio Souza por “Os mamutes”
Kika Lopes por “Gonzagão – a lenda”
Samuel Abrantes por “O auto da compadecida”
Teca Fichinski por “Valsa nº6” (VENCEDOR)

Iluminação
Adriana Ortiz por “Adeus a carne ou go to Brazil”
Luiz Paulo Nenen e Thiago Mantovani por “O homem travesseiro”
Maneco Quinderé por “A primeira vista”
Nadja Naira por “Esta criança”  (VENCEDOR)

Música
Alexandre Elias por “Gonzagão – A Lenda” (VENCEDOR) 
Domenico Lancellotti por “Modéstia”
Felipe Storino por “Esta criança”
Lucas Macier e Fabiano Krieger por “Adeus a carne ou go to Brazil”

Categoria especial
Beto Carramanhos pelo visagismo dos espetáculos “As mimosas da praça Tiradentes” e “O mágico de Oz”
Frederico Reder pela reforma e reabertura do teatro Tereza Rachel, atual Theatro Net Rio
Grupo Alfândega 88 pela ocupação do teatro Serrador (VENCEDOR) 
Projeto “Complexo Duplo” pela política de ocupação artística do teatro Glaucio Gil.