PUBLICIDADE
Topo

Família de criador do Super-Homem tenta reverter decisão judicial

O personagem da DC Comics, Super-Homem - Divulgação
O personagem da DC Comics, Super-Homem Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

04/03/2013 17h53

Depois de sofrer um duro golpe com a vitória da Warner Bros. sobre os direitos de Super-Homem em janeiro, a família de Jerry Siegel, um dos criadores do "homem de aço" retomou o processo de direitos autorais junto com seu advogado Marc Toberoff.  "Há uma série de questões pendentes que impedem a Warner de ter o alívio que procura", disse o advogado.

Para o estúdio, que pretende lançar "Homem de Aço", filme dirigido por Zack Snyder, nos próximos meses, a disputa deve ser vencida entre 60 e 90 dias. Para o advogado, a Lei de Direitos Autorais impede a transferência de antecipação dos direitos dos autores por meio de contratos. Novas audiências estão marcadas para as próximas semanas em tribunais da Califórnia. 

Jerry Siegel criou o personagem em 1933, com Joe Shuster. Cinco anos depois, eles venderam a primeira história por apenas US$ 130 para a National Allied Publications, que se tornou a DC Comics – hoje, uma subsidiária da Warner.

Laura Siegel, filha do autor, revelou ainda que irá levar a disputa adiante, dando continuidade ao desejo de sua mãe, “o modelo original para Lois Lane”. Ela faleceu no ano passado, aos 93 anos, e continuou “determinada a manter a promessa” feita a Jerry, de conquistar novamente os direitos sobre o Super-Homem.