Entretenimento

"Barba Ensopada de Sangue", novo romance de Daniel Galera, é lançado neste sábado (10)

Jefferson Bernardes/Folha Imagem
O autor Daniel Galera em Porto Alegre em 2010 Imagem: Jefferson Bernardes/Folha Imagem

Estefani Medeiros

Do UOL, em São Paulo

09/11/2012 07h00

“Barba Ensopada de Sangue”, que chega às livrarias neste sábado (10), é o novo romance do autor paulistano Daniel Galera, considerado um dos mais expressivos escritores de sua geração pela conceituada revista literária “Granta”. Antes mesmo de ser lido pelo público brasileiro, o livro já foi lançado em países como Inglaterra, Alemanha e EUA e terá adaptação cinematográfica de Karim Aïnouz, diretor de “Madame Satã” e “O Céu de Sueli”.

“É difícil resumir um romance. Mas o livro conta a história de um professor de educação física, Gaudério, após a morte do pai dele. O vô dele morreu em circunstâncias misteriosas em Garopaba e ele se muda para lá para tentar descobrir”, descreve Galera em entrevista ao UOL.

Garopaba é uma pequena cidade praiana e vilarejo de pescadores de Santa Catarina. Paradisíaco, o lugar cercado pelo mar e clima interiorano inspirou os hobbies do personagem do livro, que gosta de nadar. “O livro mostra como Gaudério lida com a natureza e com uma cidade do sul brasileiro”, diz Galera, que viveu uma temporada no cenário que inspirou o livro.

“Quando me mudei, sabia que queria aproveitar a experiência de viver lá para um tipo de trabalho novo, deixei a cidade me inspirar. Meu pai contou essa história de um homem que foi morto em um bar a facadas e foi a primeira história que me marcou na cidade”, conta.

CONHEÇA A HISTÓRIA

  • Em “Barba de Ensopada de Sangue”, Gaudério é um homem que tem uma péssima memória. Não reconhece rostos e precisa andar com uma foto em seu bolso para reconhecer a si mesmo.

    Após a morte do pai, o personagem é instigado a pegar o cachorro que ganhou de herança e tentar descobrir a causa da morte do avô brigão, que foi assassinado misteriosamente durante um baile na cidade de Garopaba, onde colecionou alguns inimigos.

    A trama gira em torno da busca de Gaudério por respostas sobre sua própria vida e sua relação com a natureza da cidade e a morte do avô.

Para o autor, a linguagem de “Barba Ensopada de Sangue” é muito mais parecida com o estilo usado em seus dois primeiros livros. “É uma história misteriosa, mais crua do que “Até o Dia em que o Cão Morreu” e mais descritiva e detalhada como 'Mãos de Cavalo'. Em “Cordilheira” (último lançamento) tentei fazer algumas experiências, fugir da minha zona de conforto. Esse livro tem meu estilo mais natural”.

Sucesso abre portas, mas não paga contas 
Sobre ter sido mencionado na Granta em 2012, com destaque na FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), Galera diz que “está em boa companhia” e evita citar o nome de seus autores favoritos para não esquecer nenhum amigo. “É uma revista cujas seleções ganham muita atenção e uma oportunidade de ser lido no exterior.”    
Mesmo com a projeção que ganhou na lista de "Os Melhores Jovens Romancistas Brasileiros" da revista britânica, Galera continua alterando a rotina de criação dos livros com trabalhos de tradução e freelancers para a área editorial, o que ajuda a se manter no sofrido mercado editorial brasileiro. Ainda ocupado com os trâmites finais do livro, o autor planeja textos menores nos próximos dois anos.

“Estou muito envolvido com esse livro. Mas queria tentar escrever textos mais curtos por um tempo. Fiz vários romances longos em sequência, são projetos de longa duração, demoram de 1 a 4 anos para serem escritos. Pensei em um livro de contos ou ensaios, mas ainda é uma intenção meio genérica”, explica.

Galera comenta que a grande dificuldade de sua geração de autores é encontrar sobre o que escrever. “Hoje não tem escola literária, é uma liberdade muito grande e a liberdade pode ser opressora também. A sociedade não é tão balizada, com pressões políticas. Nosso desafio é decidir o que fazer. Já que é tudo permitido, sobre o que escrever?”

Apesar de ter sido lido em quadrinhos em parceria de Rafael Coutinho na graphic novel “Cachalote”, lançada em 2010, Galera diz que prefere não ter interferências visuais em seus livros e nem adaptar suas obras para tablets que distraiam a leitura.

“Versão multimídia pode ser para livro infantil. A ideia é focar no texto. Não é a mesma coisa que ler em um Kindle, que preserva a característica do livro. A leitura ainda é o lugar da minha vida como consumidor de cultura que é a maior âncora da fruição focada e envolvida”, opina.

Adaptação para o cinema ainda não tem data de produção
O filme, que ainda não tem data para o início de produção, é o segundo baseado na obra do escritor. O primeiro foi "Cão Sem Dono", lançado em 2008 e dirigido por Betro Brant.

"Acho uma história difícil de ser filmada, mas ainda não está acontecendo nada. Entraram em contato com a produtora e eles acertaram. Mas ele (Karim) viu um filme no livro, ainda não sei como ele vai fazer. Acho difícil ele usar os cenários, o clima. Mas fiquei feliz com a proposta", comentou.

Sobre o que esperar de "Barba Ensopada de Sangue", que tem lançamento neste sábado em todo Brasil e 400 páginas, Daniel é categórico. "A opinião do público é a que vale". 


"Barba Ensopada de Sangue"
Daniel Galera
R$ 39,90
400 páginas

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo