Entretenimento

Marcelo Anthony fica careca para mostrar sua versão de "Macbeth", dirigida por Gabriel Villela

Isadora Brant/Folhapress
Careca, o ator Marcelo Anthony posa com coroa de Macbeth, personagem de Shakespeare que interpreta em espetáculo de Gabriel Vilela, encenado no Teatro Vivo a partir de 1º de junho Imagem: Isadora Brant/Folhapress

Estefani Medeiros

Do UOL, em São Paulo

24/05/2012 19h16

Com o cabelo raspado para interpretar o governante escocês Macbeth, peça de William Shakespeare, o ator Marcelo Anthony volta aos palcos no Teatro Vivo, em São Paulo, a partir do dia 1º de junho, sob direção do mineiro Gabriel Villela. 

Aos 47 anos, e longe da TV desde "Passione", Anthony disse em evento para jornalistas realizado nesta quinta (24) que está em "boa hora" para viver o escocês. "Fazia tempo que queria trabalhar com um texto clássico. Acho que estou em uma boa fase para interpretar esse papel", diz o ator, que ainda pretende reunir experiências suficientes para um dia conseguir encenar "Rei Lear". 

"Existem várias versões de 'Macbeth', o público pode gostar ou não, mas essa é minha versão", explica o ator. "Ele é um personagem que começa como herói e termina como vilão, o público se reconhece em cena em todos os momentos", diz. 

O diretor diz que os dois meses de ensaios foram pesados e que o texto de Shakespeare é uma oficina de dualidade para os atores. Anthony conta que teve um mês de preparação em que leu tudo sobre Shakespeare, viu diferentes adaptações do espetáculo e estudou sobre como era a vida na Inglaterra na época. 

Além de Anthony, mais sete homens estão em cena, formato que lembra as encenações dos primórdios do teatro grego, quando mulheres não podiam se apresentar. Villela explica a escolha dizendo que a abordagem é menos na sexualidade e mais no texto, que tem tradução de Marcos Daud e vocabulário denso, por isso a escolha do elenco neutro. "São as palavras que vão estar em cena", explica. 

"Não é para ser uma peça baseada em realismo. A ideia não é mostrar os personagens parecidos, não existe essa preocupação em parecer homem ou mulher", explica Claudio Fontana, que interpreta Lady Macbeth, a mulher do governante. "A proposta da peça é mostrar os sentimentos do ser humano. Maldade e ambição não têm sexo", completa.  

Essa é a minha versão de 'Macbeth'.

Marcelo Anthony

Ainda assim Villela brinca que Anthony e Fontana são um "casal perfeito" no palco. "Hoje em dia as mulheres estão enormes, na TV existem vários truques, como sapatos com salto para homens. Também tem casos que os homens abrem um pouco mais as pernas para alcançar o tamanho delas", comenta. "A principal diferença entre um elenco de homens e de mulheres são os hormônios", completa o diretor entre risos.

Figurino rústico e silêncio como trilha-sonora

O figurino do espetáculo foi feito com o tecido de 30 antigas malas de papelão, que se transformaram em coletes armaduras e escudos. As poltronas de um antigo cinema da cidade de Villela se transformaram em tronos. Conhecido por usar poucas músicas em suas peças, o diretor conta que o espetáculo é construído com base em silêncios e ruídos sugeridos pelo próprio texto de Shakespeare. 

  • AgNews

    Elenco do espetáculo Macbeth durante evento para a imprensa realizado nesta quinta-feira (24)

Sobre "Macbeth"
A peça conta a história do perturbado governante Macbeth (Marcelo Anthony) que instigado por sua esposa, a manipuladora Lady Macbeth (Claudio Fontana), passa de herói a vilão no decorrer da trama. Impulsionado por sua ambição e amaldiçoado por três bruxas, Macbeth mata o rei da Escócia para tomar sua coroa e cede à sua ânsia por poder iniciando uma sequência de crimes.

Espetáculo ganhou versão com Renatah Sorrah e Daniel Dantas em 2010
Um dos textos mais densos e desafiadores para os atores de teatro, "Macbeth" ganhou versão recente, em 2010, encenada por Renata Sorrah e Daniel Dantas, com direção de Aderbal Freire-Filho. Em uma temporada de sucesso, a peça foi apresentada no Rio, em São Paulo e no Festival de Teatro de Curitiba. 


"Macbeth", de Gabriel Vilela
Onde: Teatro Vivo (Avenida Doutor Chucri Zaidan, 860, Itaim - Vila Olímipia/São Paulo)
Quando: de 1º de junho a 22 de julho. O espetáculo é apresentado nas sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 19h. 
Ingressos: R$50 (sexta e domingo), R$70 (sábado). 290 lugares

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo