PUBLICIDADE
Topo

No Rio, Milo Manara elege seus ícones do erotismo nas artes

Milo Manara posa à frente de trabalhos seus em mostra do Rio Comicon (09/11/2010) - Ricardo Cassiano / UOL
Milo Manara posa à frente de trabalhos seus em mostra do Rio Comicon (09/11/2010) Imagem: Ricardo Cassiano / UOL

Da Redação*

11/11/2010 19h00

Conhecido por levar aos quadrinhos cenas de erotismo e desenhos de belas e sensuais mulheres, o italiano Milo Manara está no Rio de Janeiro para a feira de quadrinhos Rio Comicon, que ocorre até o próximo domingo (14) na estação Leopoldina, região central da cidade.

No evento, Manara participa de palestra (sábado, dia 13, às 20h) e mostra cerca de 100 trabalhos originais em uma exposição intitulada "Manara in Brasile".

Antes de uma sessão de autógrafos na tarde desta quinta-feira (11), o autor da série "Clic" falou ao UOL rapidamente, elegendo três ícones, para ele, do erotismo nas artes -- incluindo aí literatura e histórias em quadrinhos. Conheça-os abaixo:

Giacomo Casanova (1725 - 1798)

Para Manara, o romancista veneziano é "o primeiro colocado" de sua lista. "O Casanova fez uma pesquisa na parte obscura do erotismo."

Mais sobre autor:
Crítica de "Casanova", de Fellini

Henry Miller (1891 - 1980)

"Ele escreveu o "Trópico de Câncer" (1934). Toda a literatura de Miller roda pelo erotismo."

Mais sobre autor:
Biografia de Henry Miller.

Guido Crepax (1933 - 2003)

"[O quadrinista italiano] Crepax tem um personagem importante, que é a Valentina, que fala também sobre o nu. É uma pesquisa sobre o erotismo."

Mais do artista:
Mostra de Crepax em Milão

*Colaborou Fábia Oliveira, do UOL, no Rio