Topo

Entretenimento

MIS abre exposições de Miguel Rio Branco e do francês Miguel Chevalier

Divulgação / Cortesia MIS
Detalhe de "Carro Doce", uma das fotografias de Miguel Rio Branco em exposição no MIS Imagem: Divulgação / Cortesia MIS

Da Redação

31/08/2010 13h35

Como parte das comemorações por seus 40 anos, o Museu da Imagem e do Som (MIS) recebe duas mostras individuais a partir desta terça-feira (31), em São Paulo. "Maldicidades - Marco Zero", do artista espanhol radicado no Brasil Miguel Rio Branco, exibe fotografias, vídeos e uma instalação. Já "Terra Incógnita (2010)", do francês Miguel Chevalier, oferece uma instalação interativa que cria uma ilha virtual imaginária a partir de pixels coloridos. As mostras seguem em cartaz até 31 de outubro.

VEJA COMO SÃO AS EXPOSIÇÕES


Com curadoria do próprio Rio Branco, "Maldicidades - Marco Zero" é composta por mais de 40 fotografias captadas entre 1970 e 2010. As imagens mostram uma variedade de cenas urbanas encontradas em países como Cuba, Peru, Brasil, Estados Unidos e Japão. Além das fotos, a exposição apresenta três vídeos ("Túnel", "Caveirinhas" e "Peep Show") e a instalação "Ofélia", constituída por uma impressão fotográfica translúcida, vista por meio de neon, de alguns parabrisas de automóveis garimpados em ferro velho e de outros objetos presos por imãs.

A mostra aborda o isolamento dos moradores das metrópoles e evidencia os marginalizados e desfavorecidos, sejam prostitutas, mendigos ou cachorros de rua.

  • Divulgação / Cortesia MIS

    "Terra Incógnita (2010)", do francês Miguel Chevalier, cria
    ilha a partir de pixels coloridos

 

"Terra Incógnita (2010)", site specific --obra feita para o espaço-- do artista francês Miguel Chevalier, trata-se de uma instalação interativa imersiva,  que cria uma ilha virtual imaginária explorada por um mapa interativo, disponível em uma tela sensível ao toque. A ilha retoma o corte de um cérebro, cujos dois hemisférios são constituídos por uma fauna e uma flora reinventadas. Milhares de pixels coloridos desenham o relevo da ilha, composto por montes, vales, rios, praias e por um mar.

Nesta ilha, o espectador vê o que parecem ser formas humanas -rostos, bustos, cabeças-, sem saber bem se são restos de corpos ou ruínas. Quando, no entanto, se aproxima dos objetos, as formas se tornam mais definidas e, os vetores que as criam, visíveis.


"MALDICIDADES - MARCO ZERO", POR MIGUEL RIO BRANCO, E "TERRA INCÓGNITA (2010)", POR MIGUEL CHEVALIER
Quando:
de 1º de setembro (abertura dia 31/8, às 19h) a 31 de outubro de 2010. Terça a sábado, das 12h às 19h; domingo e feriado, das 11h às 18h
Onde:
Espaços Expositivo (Miguel Rio Branco) e Redondo (Miguel Chevalier) do MIS (avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo-SP)
Quanto:
R$ 4. Estudantes pagam meia. Grátis para maiores de 65 anos e aos domingos
Informações: 0/xx/11/2117-4777 e site do MIS.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento