PUBLICIDADE
Topo

Israelense "Synonymes" ganha o Urso de Ouro no Festival de Berlim

16/02/2019 18h13

Berlim, 16 fev (EFE).- O drama "Synonymes", dirigido pelo israelense Nadav Lapid, foi premiado neste sábado com o Urso de Ouro do Festival de Berlim, enquanto o Grande Prêmio Especial do júri ficou com "Grâce à Dieu", do francês François Ozon.

O júri do festival, presidido pela atriz francesa Juliette Binoche, decidiu consagrar a história do ex-soldado israelense que se muda para Paris em busca de sua identidade perdida.

O prêmio especial foi para Ozon, que denuncia em seu filme o silêncio com o qual a Igreja Católica tenta ocultar os casos de pedofilia. O longa-metragem é baseado em um escândalo real ocorrido na França.

O cinema alemão ganhou fôlego com os filmes dos novos talentos, como Angela Schenelec, Urso de Prata de melhor direção por "Ich war zuhause, aber". Já "Systemsprenger", de Nora Fingscheidt, obteve o prêmio Alfred Bauer, em memória do fundador do festival.

As estatuetas de melhor interpretação foram para Wang Jingchun e Yong Mei, o casal protagonista de "Di jiu tian chang", um filme dirigido por Wang Xiaoshuai, favorito das apostas, que percorre 30 anos da história da China e os estragos da política do filho único.

O impactante "La Paranza dei Bambini", baseado em um romance de Roberto Saviano e focado em um líder juvenil que enfrenta uma gangue de Nápoles, obteve o prêmio de melhor roteiro.

O cinema latino-americano foi representado na premiação pelo filme argentino "Blue Boy", de Manuel Abramovich, que ganhou o Urso de Prata de melhor curta-metragem.

A 69ª edição do Festival de Berlim foi a última sob a direção de Dieter Kosslick, que deixa o posto após 18 anos e aplaudido de pé pelos presentes na cerimônia de premiação. EFE