PUBLICIDADE
Topo

Mary Quant, estilista criadora da minissaia, completa 85 anos

10/02/2019 09h59

Carmen Martín.

Madri, 10 fev (EFE).- Falar de Mary Quant é falar de minissaia, peça de roupa que escandalizou os puritanos e que ao contrário, conquistou as mulheres, tanto que se transformou em bandeira de sua libertação. Agora, quando sua criadora completa 85 anos, a minissaia vive uma eterna juventude.

A década de 60 foi marcada por anos de otimismo, liberdade e agitação social. A rua demandava mudanças e modernidade e a mulher sentia a necessidade de se libertar, motivos pelos quais a estilista britânica Mary Quant usou a tesoura e cortou 15 centímetros de saia.

"A minissaia não surgiu de uma maneira consciente: foi uma explosão, uma necessidade, a juventude pedia a gritos", declarou publicamente Mary Quant, que utilizou uma margarida como símbolo da revolução juvenil.

Este corte atrevido e também transgressor revolucionou a moda e transformou a minissaia em uma ferramenta de empoderamento para a mulher, em uma época na qual era impensável mostrar os joelhos.

Apesar de ser uma peça reivindicativa, por uma ou outra razão a minissaia sempre foi acompanhada de apelidos em algumas ocasiões machistas e inclusive sexistas.

"Criei ela pensando em mim e nas minhas amigas; nunca acreditei que chegaria a ter tanto sucesso, embora o meu maior sucesso foi ter sido útil à época e à geração à qual pertence", destacou em várias ocasiões a estilista.

A partir desse momento, Mary Quant, que na segunda-feira completa 85 anos, passou a ser mundialmente conhecida como a mãe da minissaia, um modelo, que a priori, ninguém acreditava que teria longa vida por considerá-lo uma extravagância.

Mary Quant, que vive afastada da moda desde 2000 quando vendeu sua empresa a investidores japoneses, aprendeu a costurar por necessidade, arrumava os vestidos que herdava de suas primas. Montou sua primeira butique, a mítica Bazaar, com o dinheiro que recebeu de uma herança.

A criadora fazia de tudo. Comprava os tecidos, desenhava os padrões, cortava os tecidos e costurava as peças de roupa.

Impulsionou as roupas de ginástica de cores, os coletes de crochê e as jaquetas de polivinil, um estilo conhecido como "Chelsea look".

Mary Quant levou a moda para as ruas. Inventou as calças curtas, projetou uma nova maquiagem e conseguiu que as mulheres deixassem de seguir as regras e de se vestir como suas mães.

Mas, a história da minissaia começou com um desfile em 10 de julho de 1964. Nele, essa jovem londrina apresentava sua proposta de verão com base nas minissaias, que deixavam as coxas à mostra.

Assim, com firmeza sobre uma passarela, a minissaia deu os seus primeiros passos diante de olhares atônitos, outros desejosos de julgar e outros que viram a peça como uma oportunidade. O resultado foi um sucesso estrondoso.

Desde então se passaram 55 anos, esta peça sofreu diferentes graus de popularidade, mas nunca chegou a desaparecer do guarda-roupas da mulher. EFE