PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Alfonso Cuarón triunfa com "Roma" em premiação do Sindicato dos Diretores

03/02/2019 06h45

Los Angeles (EUA), 2 fev (EFE).- O cineasta mexicano Alfonso Cuarón triunfou neste sábado na premiação do Sindicato dos Diretores dos Estados Unidos (DGA, na sigla em inglês) ao levar o prêmio de melhor diretor de uma longa-metragem por seu aclamado filme "Roma".

Cuarón concorreu nessa categoria com Bradley Cooper ("Nasce uma Estrela"), Peter Farrelly ("Green Book: O Guia"), Spike Lee ("Infiltrado na Klan") e Adam McKay ("Vice").

Este é o segundo DGA para o mexicano, já que obteve a mesma premiação em 2014 pelo filme "Gravidade".

O prêmio do Sindicato dos Diretores costuma ser um bom termômetro dentro da temporada de premiações do cinema para se ter uma ideia do que pode acontecer no Oscar, para o qual "Roma" recebeu dez indicações, o mesmo número de "A Favorita".

Nos últimos dez anos, todos os vencedores da categoria de melhor diretor do DGA repetiram o prêmio na mesma categoria do Oscar, com a exceção de 2013, quando Ben Affleck ganhou por "Argo" no Sindicato dos Diretores e Ang Lee levou o Oscar por "As Aventuras de Pi".

"Roma" conta a história de uma mulher indígena que trabalha como empregada doméstica para uma família branca e burguesa dos anos 1970 na Cidade do México.

O filme foi uma das grandes sensações da temporada ao levar o Leão de Ouro no Festival de Veneza, ganhar dois Globos de Ouro (melhor diretor e melhor filme em língua estrangeira) e ficar com a estatueta do Goya de melhor filme ibero-americano, em cerimônia que também foi realizada neste sábado em Sevilha, na Espanha.

"Roma", o primeiro filme em espanhol indicado a melhor filme no Oscar, também concorrerá nas categorias de melhor diretor, melhor atriz (Yalitza Aparicio), melhor atriz coadjuvante (Marina de Tavira), melhor filme estrangeiro, melhor fotografia, melhor roteiro, melhor design de produção, melhor edição de som e melhor mixagem de som. EFE

Entretenimento